PUBLICIDADE
Topo

Judô fecha lista para treinar na Europa sem Rafaela Silva

Seleção de judô treina em Lima - Abelardo Mendes Jr/Ministério da Cidadania
Seleção de judô treina em Lima Imagem: Abelardo Mendes Jr/Ministério da Cidadania
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

19/06/2020 13h06

Suspensa por doping e, por isso, proibida de treinar, Rafaela Silva está fora da viagem que a seleção brasileira de judô fará à Europa assim que for autorizada a entrada de brasileiros. A Confederação Brasileira de Judô (CBJ) definiu uma lista de 28 atletas que vão treinar durante um mês e meio Portugal, para fugir das restrições causadas pela pandemia da Covid-19 no Brasil.

O projeto é do Comitê Olímpico do Brasil (COB), que discutiu confederação a confederação quantos e quais atletas levar à Europa para que eles se preparem adequadamente para os Jogos Olímpicos. No caso do judô, a corrida olímpica ainda está aberta, então a CBJ levará a Portugal os atletas que têm chances reais de classificação. Ao menos dois, porém, recusaram o convite: Maria Suelen Altheman e David Moura. Os dois pesos pesados são dos poucos que treinam distantes dos grandes clubes. Ela, em Santos. Ele, em Cuiabá.

A lista tem 14 homens e 14 mulheres, com média de dois atletas por categoria, até para facilitar o treinamento casado. No feminino vão Nathália Brígida, Gabriela Chibana (48kg), Larissa Pimenta, Eleudis Valentim, Sarah Menezes (52kg), Jessica Pereira (57kg), Alexia Castilhos, Ketleyn Quadros (63kg), Maria Portela, Ellen Santana (70kg), Mayra Aguiar, Samanta Soares (78kg), Bia Souza e Luiza Cruz (+78kg). Só esta última não tem chance real de ir à Olimpíada, ocupando a vaga de Suelen. A ausência sentida é de Ketelyn Nascimento, cotada para substituir Rafaela Silva caso a campeã olímpica não consiga reverter a suspensão na Corte Arbitral do Esporte (CAS).

No masculino foram chamados Eric Takabatake, Phelipe Pelim, Allan Kubawara (60kg), Daniel Cargnin, Willian Lima (66kg), Eduardo Barbosa, David Lima (73kg), João Macedo, Guilherme Schmidt, Victor Penalber (81kg), Leonardo Gonçalves, Rafael Buzacarini (100kg), Rafael Silva e Tiago Souza (+100kg). Assim como no feminino, só Tiago não tem chance de classificação e vai na vaga de David Moura.

Chama atenção a ausência de lutadores da categoria até 90kg, em que Rafael Macedo está dentro da zona de classificação. O irmão dele, João, está na lista. Eduardo Yudi, hoje favorito na até 81kg, o medalhista olímpico Felipe Kitadai (terceiro brasileiro na categoria até 60kg) e Charles Chibana (agora aposta da confederação na categoria até 73kg) também estão fora.

Os planos são levar o grupo a Portugal entre os dia 9 e 10 de julho, mas as passagens ainda não foram compradas, porque existe o risco de as fronteiras estarem fechadas para brasileiros. Pelo planejamento, os atletas ficariam em Coimbra até a última semana de agosto.