PUBLICIDADE
Topo

LeBron lembra protestos anti-racismo na NFL após polícia matar homem negro

Policial ajoelha sobre pescoço de homem negro nos EUA - Reprodução/Twitter
Policial ajoelha sobre pescoço de homem negro nos EUA Imagem: Reprodução/Twitter
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

27/05/2020 11h19

O famoso protesto de Colin Kaepernick, então quarterback do San Francisco 49ers, ajoelhando-se durante a execução do hino nacional dos Estados Unidos em jogos da NFL em 2016 e 2017, voltou à toa nesta semana depois que um homem negro, George Floyd, foi morto por um policial que se ajoelhou sobre seu pescoço. A morte foi filmada por populares e chocou os Estados Unidos.

LeBron James foi um dos que compartilhou uma montagem comparando as duas imagens, com a legenda: "Essa é a razão". Na montagem aparece o policial de Minneapolis ajoelhado sobre o pescoço de Floyd, que havia sido preso por supostas fraudes em cartões de crédito, e, ao lado, Kaepernick ajoelhado.

Durante a pré-temporada da NFL em 2017, o quarterback liderou um movimento ajoelhando-se durante o hino em repúdio ao "tratamento que os negros recebiam nos EUA". Na ocasião, o presidente Donald Trump criticou o proposto e sugeriu boicote de jogos da NFL e a demissão dos atletas. Kaepernick acabou perdendo espaço no esporte. Mas o movimento ganhou adeptos, entre eles diversos jogadores da NFL, além de atletas da NBA e da liga de beisebol.

Do you understand NOW!!??!!?? Or is it still blurred to you?? ??? #StayWoke

Uma publicação compartilhada por LeBron James (@kingjames) em

Agora, o ato de Kaepernick volta à toa. Em outra montagem que tem sido bastante compartilhada nas redes sociais, com as mesmas imagens do jogador e do ajoelhados, aparece a mensagem: "Qual joelhada você odeia mais?". Em outra, é escrito: "Os dois estavam ajoelhados, mas a América só vê problema em um, no da esquerda (de Kaepernick)".

"Colin Kaepernick se ajoelhou para que George Floyd não morresse por um joelho. Infelizmente, mais uma vez falhamos", escreveu no Twitter o ex-jogador da NFL Emmanuel Acho, atualmente comentarista da ESPN. "Agora você sabe por que Kap se ajoelhava", tuitou Reggie Miller, ídolo histórico da NBA.

Gravação da abordagem que matou George Floyd mostra a vítima reclamando que não conseguia respirar. O policial responde apenas para ele relaxar, mas não retira o peso do joelho sobre o pescoço do homem algemado, que acaba morrendo ali, imobilizado. A frase "I can't breathe' já havia sido dita por outro homem negro desamardo morto pela polícia em 2014. Na ocasião, o próprio LeBron participou dos protestos, aparecendo para o aquecimento de um jogo com essa mensagem na camiseta.

LeBron James usa camiseta em protesto à morte de jovens negros pela polícia - Al Bello/Getty Images - Al Bello/Getty Images
Imagem: Al Bello/Getty Images

Olhar Olímpico