PUBLICIDADE
Topo

Esporte fica fora de plano de Doria e não volta antes do meio de julho

João Doria (PSDB) usa máscara antes de entrevista coletiva - ROBERTO CASIMIRO/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO
João Doria (PSDB) usa máscara antes de entrevista coletiva Imagem: ROBERTO CASIMIRO/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

27/05/2020 14h53

As atividades esportivas ainda devem demorar a serem permitidas no estado de São Paulo, especialmente na capital paulista e na região metropolitana, onde estão os principais clubes do país, tanto no futebol quanto nas modalidades olímpicas. Nesta quarta-feira (27) o governador João Doria (PSDB) apresentou o "Plano São Paulo", que define etapas de reabertura da atividade econômica e o esporte está na última delas.

As informações foram apresentadas em coletiva de imprensa no começo da tarde de hoje. Na apresentação, constava que "promover eventos que geram aglomeração, inclusive esportivos" só seria permitido na chamada fase 5 - "fase de controle da doença, liberação de todas as atividades com protocolos".

No site do Plano São Paulo existe link para uma primeira versão dessa mesma apresentação que deixava os eventos com aglomeração, e também "teatro e cinema" fora inclusive dessa fase 5. Mas há também uma segunda versão deste mesmo documento, aparentemente a exibida na entrevista coletiva, em que os eventos e as atividades culturais são permitidas na fase 5.

Pelo que explicou João Doria, as medidas começam a valer em 1º de julho e a fase de cada região do estado será revisada de 15 em 15 dias. A cidade de São Paulo está na fase 2. Ela poderia pular para a fase 3 em 15 de junho e para a fase 4 no final do mês. Na melhor das hipóteses, chegaria à fase 5 em meados de julho. O restante da Grande São Paulo, porém, está na Fase 1, o que significa que não estará na Fase 5 antes do final de julho.

No site do Plano São Paulo foram publicados protocolos para cada setor da economia, mas não há nada referente ao esporte. Apenas para o setor de "academia", que poderão reabrir na fase 4 com restrições. Entre as recomendações (não é regra) estão a ocupação máxima de 35% e utilização de somente 50% dos aparelhos de cardio (esteira, bicicleta, etc), com distância mínima de 1 metro e meio.

Também consta na tabela de fases de reabertura o item "espaços públicos", com previsão de reabertura somente na fase 5. Neste primeiro momento, as regiões de Barretos, Araraquara/São Carlos, Bauru e Presidente Prudente já estão na fase 3. As demais, na fase 4, com exceção de Registro, Baixada Santista e Grande São Paulo, na fase 5.