PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Julio Gomes


A Bundesliga está de volta: alegria, tristeza, esperança e aflição

Lewandowski é o artilheiro da atual temporada da Bundesliga - Getty Images
Lewandowski é o artilheiro da atual temporada da Bundesliga Imagem: Getty Images
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

06/05/2020 12h52

Resumo da notícia

  • Governo alemão libera o retorno do futebol em maio
  • Nove rodadas finais terão estádios vazios e protocolos de prevenção
  • Bundesliga será a grande cobaia para futebol voltar em outros países

O governo de Angela Merkel (que líder!) liberou, e a Bundesliga vai voltar a ser disputada neste mês de maio, possivelmente no dia 15 - não neste fim de semana, no outro. Serão, logicamente, jogos com portões fechados para as nove rodadas finais da temporada. Será a oportunidade para muitos verem, aqui no Brasil, o altíssimo nível de futebol jogado na Alemanha, uma das ligas mais fortes e competitivas do mundo.

E será também a liga cobaia.

Se a Alemanha, o país que faz tudo certo (impressionante), entendesse que não haveria condições para o futebol retornar, o que fariam os outros? Simplesmente seguir o exemplo e cancelar. Agora, com os protocolos da Bundesliga, há um exemplo a ser seguido, um padrão. Quem se sentir capaz de copiar, irá fazê-lo: Inglaterra, Espanha e Itália, essencialmente, as outras ligas mais fortes do mundo. É possível um dos primeiros a seguir seja Portugal, um país que também conseguiu controlar bem a pandemia do coronavírus até agora.

Alías, será bom a turma do "só tem o Bayern, a Bundesliga é uma porcaria" ter uns joguinhos alemães para ver. Spoiler: são de tirar o fôlego.

À parte tudo isso, a volta do futebol alemão gera uma verdadeira salada de sentimentos dentro de mim.

A esperança é esta acima, a esperança de que o futebol consiga se organizar para voltar nestas novas condições em vários lugares do mundo, a esperança de que possamos nos divertir com algumas coisas de novo. Ela está de mãos dadas com o alívio por sabermos que alguns passos estão sendo dados, mesmo que de tartaruga. O alívio por saber que o mundo pode voltar a girar.

Para quem gosta (e vive) de futebol, é uma grande alegria receber uma notícia como a de hoje.

Mas, passada a empolgação inicial, será uma tristeza ver os estádios mais cheios do mundo... vazios. O futebol, no fim das contas, é o que é porque desperta amor e emoções, futebol sem torcida é como um corpo sem alma. A Alemanha, especialmente, é o país que melhor trabalha o público, que mais aproxima os fãs das grandes estrelas e dos grandes eventos, com preços justos e democratização nos estádios.

Será uma tristeza também ver que nós, aqui no Brasil, não teremos a menor condição de seguir os protocolos alemães. Pelo menos por um tempo. Tipo, a eternidade.

E, claro, tem a aflição. Imaginem um jogador dando uma espirrada ou aquela tradicional cuspidela no meio do jogo? Sim, serão feitos testes, as condições de higiene serão levadas ao extremo, tem tudo isso. Ainda assim, os caras estarão lá, corpo a corpo, sofrerão lesões, serão atendidos, irão para suas casas ver as famílias. É muito aflitivo ver tudo isso sabendo que mortos estão sendo empilhados nos quatro cantos do mundo.

Enfim, é o novo mundo que iremos conhecer e com o qual iremos nos acostumar pouco a pouco.

Estou na torcida para que tudo dê certo lá no país do futebol.

Julio Gomes