Topo

Salão de Genebra


Conheça o carro voador que será vendido no Brasil por R$ 1,8 milhão

Ricardo Ribeiro, Vitor Matsubara

Colaboração para o UOL, de Genebra (Suíça)

05/03/2019 11h44

Resumo da notícia

  • Liberty é um girocóptero, que voa por pressão de vento no rotor
  • Veículo tem versão mais sofisticada por R$ 2,8 milhões
  • Representante da empresa admite interesse no Brasil -- e em São Paulo

Um exótico carro com cara de helicóptero rouba a atenção de quem está no Salão de Genebra. O PAL-V Liberty Pioneer Edition é um carro voador projetado na Holanda -- e que será vendido no Brasil.

Até preço ele já tem: a versão Sport será oferecida por US$ 499 mil, ou aproximadamente R$ 1,8 milhão. Já a configuração Executive será mais sofisticada -- e limitada: apenas 90 veículos serão produzidos. Quem quiser levá-lo para casa vai precisar pagar US$ 750 mil, o equivalente a R$ 2,84 milhões. Será uma boa opção para quem não quiser esperar e puder pagar a mais por isso, já que as unidades Executive serão entregues antes dos veículos Sport.

Ambas as versões saem de fábrica com controle duplo para voo (ou seria condução?), aquecimento na cabine e sistema de controle de voo. A fabricante promete dar um treinamento completo para que o cliente se familiarize com o Liberty antes de sair por aí. 

Carro é um girocóptero

Na estrada, o Liberty funciona como um triciclo e até inclina a carroceria nas curvas -- como fazia o finado Carver One, um triciclo que prometia sensações de condução parecidas com as de uma moto. O motor de 102 cv faz com que o veículo acelere de 0 a 100 km/h em aproximadamente nove segundos.

Caso deseje levantar voo, o proprietário precisará desdobrar manualmente as hélices e esperar de três a cinco minutos antes de decolar. O Liberty é um girocóptero, ou seja, ele é sustentado por asas rotativas. Possui um rotor como um helicóptero, mas funciona sem acionamento do motor. Assim, a pressão de vento no rotor é que cria a sustentação necessária para voar. Outra diferença em relação aos helicópteros é que, tal qual um avião, ele precisa correr em uma pista para decolar e pousar.

A certificação para rodar como carro será concluída em dois meses. Segundo Beau Metz, da área de marketing da PAL-V, embora mais complexa, a liberação para voar também está na fase final.

"O veículo precisa demonstrar para as autoridades aéreas que seus sistemas cumprem todas as normas, o que está planejado para ocorrer até o final do ano. Depois serão necessárias 50 horas em voos de teste, que devem terminar até o final do ano. As entregas começam depois disso, no segundo semestre de 2020", explica Metz.

Brasil é mercado muito importante para empresa

O projeto começou em 2001 (ano de fundação da empresa) e foi inteiramente desenvolvido na Holanda. Nas ruas, o PAL-V fica com as asas recolhidas e o motor entrega 100 cv de potência. A velocidade máxima é de 160 km/h. Em modo de voo, pode chegar a 3.500 metros de altitude e 180 km/h.

A empresa não revela quantas pré-encomendas já foram feitas nem para quais países. No entanto, Metz afirmou a UOL Carros que foram muitas e que o Brasil é um mercado importante nos planos da PAL-V.

"Temos muito interesse em São Paulo, que tem muito trânsito e um uso já elevado de helicópteros. Se você tem problemas na infraestrutura, é muito mais vantajoso voar sobre a infraestrutura, especialmente com um veículo mais econômico".

Segundo ele, o custo de manutenção do PAL-V é 25% mais barato do que o de um helicóptero convencional e, por seu tamanho e peso menores, também gasta menos combustível para voar.

* Viagem a convite da Volkswagen AG

Salão de Genebra