PUBLICIDADE

Topo

Qual é o Remédio

Um guia dos principais medicamentos que você usa


Qual é o Remédio

Omeprazol: eficaz no controle da acidez estomacal, ele pode levar à anemia

iStock
Imagem: iStock

Cristina Almeida

Colaboração para VivaBem

07/07/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Omeprazol é um medicamento usado para reduzir a produção de ácido gástrico
  • Ele é indicado para tratar úlceras gástricas, duodenais, refluxo, dispepsia etc.
  • Grávidas e lactantes devem comunicar seu estado ao médico antes de seu uso
  • A terapia deve ser breve, ter mínima dosagem e ser monitorada pelo profissional da saúde

Quem tem problemas digestivos conhece bem o omeprazol, o primeiro inibidor da bomba de prótons utilizado para controle da acidez gástrica. No mercado desde o final da década de 1980, ele revolucionou o tratamento de vários problemas gastrointestinais.

O que é o omeprazol?

Trata-se de um medicamento que faz parte do grupo dos inibidores da bomba de prótons cuja ação é reduzir a produção de ácido no estômago.

Em quais situações ele deve ser usado?

Esse medicamento só pode ser vendido sob prescrição médica. Dada a ampla utilização desse fármaco, ele é considerado muito seguro. Contudo, é importante que você faça o uso racional desse remédio, ou seja, utilize-o de forma apropriada, na dose certa e por tempo adequado.

O omeprazol é indicado para o tratamento dos seguintes sintomas e condições:

  • Úlceras gástricas (do estômago)
  • Úlceras duodenais (do intestino)
  • Refluxo gastroesofágico (retorno do suco gástrico do estômago para o esôfago)
  • Dispepsia (caracterizada por azia, arroto, indigestão e maior acidez)
  • Doença de Zollinger-Ellison (rara, ela causa a produção em excesso de ácido)

Esta medicação também poderá ser prescrita para o tratamento de pacientes graves, quando haja risco de sangramento gástrico, bem como na terapia de combate a infecções pelo Helicobacter pylori. Nesse último caso, seu uso será combinado a algum antibiótico.

Entenda como ele funciona

O omeprazol possui excelente farmacocinética, ou seja, é absorvido principalmente pelo intestino delgado e metabolizado pela via hepática. Ao finalizar sua tarefa, ele é excretado pela via renal e fecal.

Quanto à sua farmacodinâmica, ou seja, seu mecanismo de ação, ele age inibindo a enzima H+/ K+ ATP (bomba de prótons), última etapa da produção do ácido gástrico.

Conheça as apresentações disponíveis

As marcas de referência do omeprazol são o Losec® e o Peprazol®. Mas você pode encontrar as versões genéricas. Confira as apresentações disponíveis, que podem ter a forma sódica ou magnésica (o medicamento é estável nesses dois tipos de sais):

  • Cápsula - 10mg, 20mg e 40mg
  • Comprimido - 20mg e 40mg
  • Pó injetável - 40mg

Em geral, o remédio começa a fazer efeito a partir de 1 hora de seu uso, atingindo seu ponto máximo em até 4 horas. O controle da acidez pode durar por cerca de 72 horas.

O tratamento com o omeprazol deve ocorrer somente sob orientação médica. A depender da doença que se está tratando, as doses e o tempo da terapia serão diferentes. E pode até ocorrer de ser necessário o ajuste de doses nesse período. Por isso, evite a automedicação. A explicação é da gastroenterologista Elaine Moreira, membro da FBG e da Comissão FBG Mulher.

Quais são as vantagens e desvantagens desse medicamento?

A grande vantagem desse fármaco é o baixo custo e a acessibilidade. Cristina Ostrowski Sales, farmacêutica, docente da disciplina de farmacologia dos cursos de medicina, farmácia e odontologia da PUC-PR, acrescenta que embora já existam outras opções de fármacos do mesmo tipo, ele continua sendo efetivo.

Contudo, ela destaca a maior desvantagem do omeprazol: por ser tão acessível, a automedicação é muito comum. "Em vez de controlar a dieta, as pessoas abusam dela e, depois, tomam o omeprazol por tempo indeterminado, sem ter noção dos riscos que correm, como a perda da capacidade de absorção de vitaminas, que pode levar à anemia, e até à osteoporose", completa.

Ela está incluída na Farmácia Popular?

Não, no entanto, consta da Rename (Relação Nacional de Medicamentos Essenciais), por isso tem distribuição gratuita em todas as UBS (Unidades Básicas de Saúde). Para ter acesso a ela, basta apresentar a receita médica.

Quais são as contraindicações do omeprazol?

O omeprazol não pode ser usado por pessoas que sejam alérgicas (ou tenham conhecimento de que alguém da família tenham tido reação semelhante) ao seu princípio ativo ou a qualquer outro componente de sua fórmula. Lembre-se de falar sobre isso com seu médico antes de usar esse medicamento.

A indicação do fármaco também deve ser mais cuidadosa na presença das seguintes condições:

  • Doença hepática ou histórico dela no passado
  • Gravidez
  • Diabetes
  • Uso de medicamentos para tratamento do HIV

Crianças e idosos podem usá-lo?

Sim. Esse medicamento é bem tolerado e considerado seguro para esses grupos, desde que o tratamento ocorra sob rigorosa supervisão médica.

A razão para isso é que somente o profissional da saúde pode avaliar os riscos e benefícios da adoção da terapia com o omeprazol. A orientação é de Amouni Mourad, farmacêutica, professora do curso de farmácia da Universidade Presbiteriana Mackenzie (SP).

Entre os pequenos, a ressalva é que o medicamento seja usado somente após o 1º ano de vida.

Estou grávida? Posso usar o omeprazol?

Como não existem estudos que avaliaram os potenciais riscos para o bebê do consumo desse fármaco, ele só poderá ser utilizado após a avaliação de seus riscos e benefícios pelo médico.

Lactantes devem evitar seu consumo, já que o medicamento pode ser secretado por meio do leite materno. O conselho médico é evitar a automedicação e comunicar a gravidez ou o aleitamento ao especialista, antes de iniciar o tratamento com o omeprazol.

Qual é a melhor forma de consumi-lo?

Ele deve ser usado de 30 a 60 minutos antes das refeições, preferencialmente pela manhã. Para esse fim, prefira água.

Há risco de interação alimentar?

Não existem relatos de que algum tipo de alimento possa alterar a ação do omeprazol.

Evite o consumo de álcool. Ele faz que seu estômago produza mais ácido, o que pode irritar, ainda mais, as paredes estomacais, o que leva ao agravamento dos sintomas.

Existe uma melhor hora do dia para usar esse medicamento?

Não. O importante é que o omeprazol seja ingerido na forma e tempo indicados pelo médico.

O que faço quando esquecer de tomar o remédio?

Tome assim que lembrar e reinicie o esquema de uso do medicamento. É desaconselhado tomar doses em dobro de uma vez para compensar a dose que foi esquecida.

Se você é daqueles que sempre se esquecem de tomar seus remédios, use algum tipo de alarme para lembrar-se.

Quais são os possíveis efeitos colaterais?

Este medicamento é considerado bem tolerado, seguro e eficaz, mas alguns indivíduos podem apresentar as seguintes reações, que poderão desaparecer ao final do tratamento:

Comuns

Incomuns e raros

  • Insônia
  • Sonolência
  • Coceira
  • Mal-estar
  • Agitação
  • Boca seca
  • Dor nas articulações
  • Dor muscular
  • Dificuldade para respirar

Marcos Machado, farmacêutico, bioquímico e presidente do CRF-SP, observa que é preciso estar mais atento aos idosos, crianças e pessoas com doenças do coração, nos rins, fígado, diabetes e enfermidades que causam convulsões, além de indivíduos que façam uso diário de muitos medicamentos (polifármácia).

"Para esses grupos, o risco de efeitos colaterais é ainda maior", diz o especialista.

Interações medicamentosas

Alguns medicamentos não combinam com o omeprazol, e podem alterar ou reduzir seu efeito. Mesmo assim, eventualmente, ele precisará ser usado de forma combinada com outros fármacos. Nessas situações, seu médico avaliará a necessidade de alterar as doses já prescritas.

Fale com o profissional da saúde, caso faça uso frequente de substâncias como álcool ou tabaco, bem como alguns dos seguintes fármacos:

  • Antirretrovirais - usados para tratar o HIV
  • Cilostazol - trata doenças arteriais e previne AVC
  • Clopidogrel - antiagregante plaquetário
  • Digoxina - indicado para doenças do coração
  • Fenitoína - antiepilético
  • Itraconazol - antifúngico
  • Metotrexato - combate tumores e doenças autoimunes como a artrite reumatoide
  • Rifampicina - antibiótico
  • Varfarina - anticoagulante

E atenção: as medicações acima listadas são apenas alguns exemplos de interações medicamentosas. Verifique a bula do omeprazol e fale com seu médico para saber se algum dos medicamentos que usa de forma contínua pode alterar ou reduzir o seu efeito.

Antes de iniciar seu tratamento com esse medicamento, comunique ao médico o uso contínuo de algum tipo de fitoterápico, suplementos —como os ácidos graxos poli-insaturados ômega 3, ou vitaminas, especialmente a Vitamina B12 (cianocobalamina), Vitamina C (ácido ascórbico) e Vitamina D3 (colecalciferol), cujas absorções podem ser prejudicas.

Há interação com testes laboratoriais?

Não existem relatos de que o omeprazol possa alterar exames que buscam avaliar funções hepáticas ou renais. Contudo, antes de fazer esses testes, fale com seu médico ou comunique ao laboratório sobre o uso desse medicamento.

Por outro lado, já foram observadas alterações em exames diagnósticos de tumores neuroendócrinos, estímulo de secretina e triagem de urina para tetraidrocanabinol (THC).

Caso tenha de se submeter a uma endoscopia, fale com seu médico para saber se seria necessário interromper o tratamento.

Em casa, coloque em prática as seguintes dicas:

  • Fique atento à validade do medicamento, que é de 24 meses. Considere que, após aberto, essa validade é ainda menor;
  • Mantenha o medicamento sempre dentro da própria embalagem e nunca descarte a bula até terminar o tratamento;
  • Leia atentamente a bula ou as instruções de consumo do medicamento;
  • Utilize o medicamento na posologia indicada;
  • Ingira os comprimidos inteiros. Evite esmagá-los ou cortá-los ao meio --eles podem ferir sua boca ou garganta. A exceção é a indicação médica;
  • Escolha um local protegido da luz e da umidade para armazenamento. Cozinhas e banheiros não são a melhor opção. A temperatura ambiente deve estar entre 15°C e 30°C;
  • Guarde seus remédios em compartimentos altos ou trancados. A ideia é dificultar o acesso das crianças;
  • Procure saber quais locais próximos da sua casa aceitam o descarte de remédios. Algumas farmácias e indústrias farmacêuticas já têm projetos de coleta;
  • Evite o descarte no lixo caseiro ou no vaso sanitário. Frascos vazios de vidro e plástico, bem como caixas e cartelas vazias podem ir para a reciclagem comum.

O Ministério da Saúde mantém uma cartilha (em pdf) para o Uso Racional de Medicamentos, mas você pode complementar a leitura com a Cartilha do Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos - FIOCRUZ) (em pdf) ou do Conselho Regional de Farmácia de São Paulo (também em pdf). Quanto mais você se educa em saúde, menos riscos você corre.

Fontes: Marcos Machado, presidente do CRF-SP (Conselho Regional de Farmácia em São Paulo), farmacêutico e bioquímico especialista em análises clínicas; Amouni Mourad, farmacêutica, professora do curso de farmácia da Universidade Presbiteriana Mackenzie (SP) e assessora técnica do CRF-SP; Fernanda Cristina Ostrowski Sales, farmacêutica, bioquímica, mestre em tecnologia em saúde pela PUC-PR (Pontifícia Universidade Católica do Paraná) e professora da disciplina de farmacologia dos cursos de nedicina, farmácia e odontologia da mesma instituição e Elaine Moreira, gastroenterologista, membro da FBG (Federação Brasileira de Gastroenterologia) e da Comissão FBG Mulher. Revisão Técnica: Amouni Mourad.

Referências: ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária); ACS (American Chemical Society); Shah N, Gossman W. Omeprazole. [Atual. 2020 Fev 18]. In: StatPearls [Internet]. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2020 Jan-. Disponível em https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK539786/; H P Rang, R G Hill. Omeprazole (Losec). Drug Discovery and Development (Second Edition). 2003.

Qual é o Remédio