Gustavo Cabral

Gustavo Cabral

Siga nas redes
Só para assinantesAssine UOL
Opinião

Cuidado com falso tratamento da dengue; não acredite de novo na ivermectina

Com o surto da dengue, as fake news que colocaram a saúde de muita gente em risco na pandemia da covid-19 voltam a aterrorizar.

Médicos negacionistas ou sem conhecimento científico e pessoas mal intencionadas, mais uma vez, estão espalhando pelas redes sociais mensagens com tratamentos da doença sem qualquer embasamento.

Muitas desses profissionais e mensagens citam artigos científicos que atribuem ação antiviral e eficácia no combate à dengue de determinados compostos e medicamentos, entre outros benefícios inverídicos e questionáveis.

Mas a população não deve acreditar em tudo que é compartilhado. Tais artigos frequentemente não têm relação direta com os vírus da dengue.

Imagem
Imagem: Reprodução

Uma das mensagens que vi fala que a ivermectina, muito divulgada como eficaz contra a covid-19 por negacionistas, acelera a eliminação do vírus. Você não vai cair nessa farsa outra vez, né?

Como já explicando tantas vezes, o medicamento é indicado para o tratamento de vermes e outros parasitas e até o momento não se mostrou em estudos ser eficaz contra vírus, como o da dengue. Tomar o remédio sem necessidade pode não só fazer com que você demore para buscar o tratamento adequado, como também ter efeitos colaterais.

Para você não se enganar com mensagens que muitas vezes trazem nome de médicos que podem nem existir e links de estudos que não têm como foco o tratamento da dengue (ou seja, servem só para enganar as pessoas(, fui buscar informações sobre a doença em fontes confiáveis.

O Ministério da Saúde diz que "ainda não existe tratamento específico para a dengue."

Continua após a publicidade

O CDC (Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA) e o renomado serviço de saúde inglesa, o NHS, também concordam que "não existe medicamento específico para tratar a dengue".

A OMS afirma o mesmo e, por não existir tratamento específico, orienta que "o foco é tratar os sintomas".

Acho que está claro que não há tratamento específico para a dengue e, repito, você não deve acreditar em fakes news que recomendam remédios ou outras substâncias sem comprovação para tratar doença

É necessário entender que o tratamento da dengue continua a ser um desafio de saúde pública em muitas regiões do mundo e, por não haver um remédio específico, a abordagem terapêutica concentra-se principalmente na reposição adequada de líquidos e no manejo dos sintomas.

Quando falo sobre o manejo dos sintomas, que fique claro que não é para se automedicar. Nunca tome analgésicos, anti-inflamatórios ou outros medicamentos sem orientação médica, pois isso pode aumentar o risco de complicações.

O ideal é buscar ajuda médica imediata caso ocorram sangramentos ou sejam observados sinais de alerta, como dor abdominal intensa, vômitos persistentes, diminuição da pressão arterial, sangramento nas gengivas ou pele pálida.

Continua após a publicidade

Siga a orientação médica de profissionais que seguem os preceitos científicos e demonstram clareza no que fazem —inclusive, deixando claro que não há tratamento específico.

E tenha em mente que, até este momento, em muitas cidades, há estrutura de saúde pública ou privada que pode te ajudar a se recuperar da dengue.

Por fim, lembre-se sempre de que a prevenção é a melhor estratégia contra a doença e não acreditar em fake news é importante para a saúde da população. Não vamos deixar os fantasmas da ivermectina, da cloroquina, da água com o limão e de outras promessas voltarem.

Opinião

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes