Topo

Brigitte Macron envia carta agradecendo brasileiras por apoio após comentários de Bolsonaro

Presidente da França, Emmanuel Macron, e a primeira-dama Brigitte Macron - Ludovic Marin/ AFP
Presidente da França, Emmanuel Macron, e a primeira-dama Brigitte Macron Imagem: Ludovic Marin/ AFP

22/10/2019 18h10

A primeira-dama francesa, Brigitte Macron, enviou esta semana uma carta ao grupo Brasileiras de Paris na qual agradece o apoio que recebeu após comentários sobre sua aparência feitos pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL). O grupo havia organizado uma campanha de apoio à mulher de Emmanuel Macron em agosto deste ano.

Na correspondência, datada de 15 de outubro, a primeira-dama diz ter ficado sensibilizada pela carta enviada pelo Brasileiras de Paris, "e pelas numerosas manifestações de apoio que foram expressas". Brigitte Macron se refere ao abaixo-assinado feito pelo grupo após a notícia de que Bolsonaro teria reagido com sarcasmo a um insulto visando a primeira-dama no Facebook, além de ter compartilhado o post em suas redes sociais. A mobilização de apoio à Brigitte Macron, encabeçada pelo #DesculpaBrigitte, viralizou.

"Gostaria de, sinceramente, agradecer-lhes esta delicada atenção, que me fala direto ao coração", continua, lembrando que é muito apegada à questão dos direitos das mulheres e da igualdade.

"Eu imagino, acreditem, quantas mulheres são, mesmo hoje em dia, com os progressos feitos, confrontadas com estereótipos e com preconceitos sexistas contra os quais cabe-nos lutar sem trégua", escreveu. "Todas as mensagens de solidariedade que chegaram constituem, para mim, um precioso incentivo para prosseguir meu engajamento a serviço desta causa que me é tão cara", pontuou a primeira-dama, que termina a carta com uma frase, escrita à mão, na qual manda "um beijo para todas".

Essa não é a primeira vez que Brigitte Macron agradece à solidariedade dos brasileiros. No final de agosto, logo após a polêmica, ele se exprimiu sobre o assunto durante uma visita no norte da França. Diante das câmeras e em português, a primeira-dama disse "Muito obrigada!". "Os tempos mudam. Alguns estão dentro do trem da mudança (...) Mas nem todos embarcaram : alguns ficaram na plataforma", completou, em francês.

Violência contra a mulher