PUBLICIDADE

Topo

Minha história

'Numa escala no aeroporto de Lisboa, conheci meu namorado alemão'

Franciele Lima conheceu seu namorado durante uma escala no aeroporto de Lisboa - Acervo pessoal
Franciele Lima conheceu seu namorado durante uma escala no aeroporto de Lisboa Imagem: Acervo pessoal
Rafaela Polo e Franciele Lim em depoimento

De Universa, São Paulo

19/06/2022 18h16

"No dia 14 de maio de 2022 sai do Brasil com rumo a Espanha. Estava de mudança do país para a Europa, que é onde vivo agora. Para conseguir meu visto, fiz uma escala em Lisboa. E foi lá que eu vi o alemão Werner* pela primeira vez. Ele também estava no aeroporto. Estava em Portugal para o casamento de um amigo, mas já a caminho de casa, na Alemanha.

Eu precisei ficar cinco horas no aeroporto de Lisboa e, nesse período, trocamos alguns olhares. Mas como ele falava alemão e eu não entendia nada, achei que não ia rolar. Mas ele tomou a iniciativa e veio conversar comigo. Meu inglês é básico, mas falo espanhol. E como ele também falava, conseguimos nos comunicar. Conversamos, trocamos WhatsApp e Instagram e seguimos cada um para o seu destino.

Conversamos por cerca de um mês antes de eu embarcar rumo à Alemanha. Estou em uma fase da minha vida que decidi que vou aproveitar ao máximo, criar memórias, viajar, conhecer pessoas, lugares e culturas diferentes.

Quando ele me convidou para ir visitá-lo, adorei a ideia. Além de vê-lo, ia conhecer outro país e cidades. Então me animei para ir.

Mas acabei ficando com medo e falei pra ele que tinha desistido. Apesar de eu falar com ele por vídeo, ter uma noção de onde ele morava, e até pedir para ele me mandar uma foto do documento, como estrangeira dá medo, né?

De sequestro ou de acontecer alguma coisa Ainda mais sendo brasileira. Meus pais, por exemplo, são bem tranquilos. Meu pai me ajudou muito com a mudança. Minha mãe pediu para eu ter cuidado, mas também me apoiou. Algumas amigas me chamaram de doida enquanto minha colega de quarto falou que eu tinha que ir mesmo, ter novas experiências e construir memórias.

Às 23h do dia anterior ao meu voo, falei para ele que tinha mudado de ideia. Que embarcaria às 10h do dia seguinte. Ele nem acreditou. Quando eu cheguei no aeroporto de Hamburgo, imaginei que ia viver uma cena de filme, mas fiquei toda perdida. Era muito grande. Pedi para o Werner me mandar sua localização e, quando olhei no celular, ele estava a poucos metros. Como ele estava de costas pra mim, deixei o telefone gravando o nosso encontro. Quando ele virou, estava com flores na mão.

Eu fiquei cinco dias no país com ele. Vivi um sonho, minha vida parecia um filme de romance. Foi tudo muito único e especial. Ele me levou a lugares lindos e foi muito respeitoso, atencioso e amoroso. Não forçou que nada acontecesse entre nós. Tudo foi no tempo certo.

Na nossa primeira noite juntos, assistimos "O Diário de uma Paixão", porque ele sabia que eu amo esse filme. Ele queria que eu fosse para a Alemanha no Dia dos Namorados do Brasil, para ele me fazer uma surpresa. No dia, ele me levou em uma das locações do filme, aquela com o lago e os patos. Quando cheguei, fiquei impressionada. A experiência foi incrível.

Até a família dele eu conheci. Mas como eu não falo nem alemão e nem inglês, foi muito estranho. Ele traduzia o que as pessoas diziam pra mim e o que eu falava pra eles.

Com menos de um mês de conversas online, Franciele foi até a Alemanha visitá-lo - Acervo pessoal - Acervo pessoal
Com menos de um mês de conversas online, Franciele foi até a Alemanha visitá-lo
Imagem: Acervo pessoal

No nosso último dia juntos, tentamos nos desconectar e aproveitar ao máximo nosso tempo juntos. Choramos e foi uma sensação muito diferente de tudo o que eu já tinha sentido na vida, algo único. No dia seguinte, às 6h, eu já estava no aeroporto para voltar para minha cidade, Formentera, na Espanha. Bem perto de Ibiza.

Nós seguimos conversando todos os dias por vídeo e ele está vindo para cá daqui a 10 dias. Vamos ter o nosso segundo encontro. Está tudo muito bom entre nós, mas continuo com meu pé no chão. Acredito que podemos conhecer pessoas maravilhosas e o amor da minha vida, mas eu sou minha prioridade. No dia 5 de julho, a irmã dele vai casar, e vou a festa com ele", Franciele Lima, 23 anos.

Minha história