PUBLICIDADE

Topo

Sexo

Ciclo menstrual e prazer: entenda como a menstruação afeta a sua libido

Durante a menstruação mulheres ficam com a libido mais alta - Getty Images
Durante a menstruação mulheres ficam com a libido mais alta Imagem: Getty Images

Heloísa Noronha

Colaboração para Universa

18/01/2021 04h00

O ciclo menstrual é dividido em quatro fases bastante distintas entre si: menstruação, pré-ovulação, ovulação e pós-ovulação tem diferentes oscilações hormonais que afetam a mulher física e emocionalmente.

Essas mudanças, é claro, afetam a libido e até a resposta sexual feminina. Para tirar melhor proveito do sexo, vale a pena entender como funcionam essas etapas, que duram, em média, uma semana cada. Com o calendário na mão, leia as definições e dicas a seguir:

Durante a menstruação, sexo pode ser mais satisfatório

É o primeiro dia do ciclo menstrual e marca uma fase em que todos os hormônios sexuais - FSH, LH, estrogênio e progesterona - estão nos níveis mais baixos. Não é uma etapa em que ocorre um aumento significativo da libido ou da excitação do ponto de vista hormonal. Por outro lado, como a circulação sanguínea é ativada, há uma maior vasodilatação na região do períneo, o que, para muitas mulheres, resulta numa sensibilidade mais intensa na vulva.

Assim, para as mulheres que não apresentam incômodos como cólicas e dor de cabeça, o sexo pode ser mais satisfatório do que nos outros estágios do ciclo.

Dica: existem coletores menstruais diminutos que podem ser usados por até 12 horas, inclusive durante a relação, sem desconforto.

Na fase de pré-ovulação vale investir em preliminares longas

Também chamada de fase folicular ou proliferativa, consiste em um sutil crescimento do endométrio - é a preparação do corpo para futuramente receber um possível bebê. Outra característica é o aumento gradual do nível hormonal. O cansaço que algumas mulheres sentem no período menstrual vai embora e a mulher se sente mais ativa, confortável e positiva.

O FSH estimula o crescimento dos folículos dos ovários. Cada folículo contém um óvulo e, geralmente, a cada ciclo um óvulo fica pronto para ser fertilizado. O FSH ainda ativa a produção de estrogênio. E como o estrogênio é um precursor da testosterona, a o desejo sexual também começa a dar as caras.

A vasodilatação não é tão proeminente, mas como é uma fase mais neutra, sem irritabilidade e com uma sensação de bem-estar, com os devidos estímulos o sexo é gostoso. É um período ótimo para se dedicar a longas preliminares e para colocar fantasias em prática.

Durante a ovulação o corpo pede mais sexo

É, digamos, o período de "cio" da mulher. O hormônio LH faz o folículo se romper para liberar um óvulo. As alterações são muito intensas, com pico de todos os hormônios, e específicas para que mulher tenha mais pique e vontade para transar. O clitóris fica mais sensível, o olfato e o paladar se intensificam e o tesão sobe às alturas. É como se o corpo buscasse mesmo o sexo.

Há um aumento geral da temperatura corporal, maior vasodilatação e é mais fácil se excitar, física e psicologicamente. A lubrificação também é favorecida e a mulher também percebe um aumento da secreção vaginal, que fica mais densa para facilitar a ascensão do espermatozóide - um "cenário" que ainda eleva a sensibilidade durante a penetração, tornando a experiência bastante prazeirosa.

É importante lembrar que quem usa de contraceptivos hormonais não vivencia essa etapa com os bônus, já que os medicamentos interrompem a fase da ovulação.

E, ainda, vale mencionar que algumas mulheres sentem dor nesse ponto do ciclo, um desconforto semelhante à uma cólica menstrual leve, o que pode afetar a disposição para transar.

No período de pós-ovulação tesão está em baixa

Conhecida como fase lútea ou secretora, é um momento de "calmaria". Afinal de contas, tendo engravidado ou não, o corpo entende que é hora de se preparar para a gestação. O folículo vazio se transforma em um corpo lúteo, cujas células produzem estrogênio e grandes quantidades de progesterona - que, consequentemente, estimula a camada interna do útero para se preparar para o óvulo fecundado.

Se a mulher engravidar, o óvulo se prenderá à camada interna do útero. Caso contrário, será expelido pela vagina durante a menstruação. A pós-ovulação é o estágio da TPM (tensão pré-menstrual) e faz com que os hormônios envolvidos na libido reduzam a ação. Nervosismo, energia baixa e moleza acabam se tornando inimigos do tesão, ainda mais se combinados a seios inchados e doloridos e crises de dor de cabeça.

O sexo, para muitas, engata a marcha lenta. Para as que se dispõem a transar, pode ocorrer uma melhora dos sintomas, mesmo com a secreção vaginal mais rala e menor lubrificação. E, após a menstruação, tudo se inicia novamente até por volta dos 45 anos, em média, quando começa o climatério, fase que antecede a menopausa.

Fontes consultadas: Karen Rocha De Pauw, ginecologista e obstetra pela UFU (Universidade Federal de Uberlândia), e Lilian Fiorelli, ginecologista especialista em sexualidade feminina e uroginecologia pela USP (Universidade de São Paulo), ambas com consultório em São Paulo (SP).

Sexo