PUBLICIDADE

Topo

Sexo

"Pode confiar": desculpas que os homens ainda dão pra transar sem camisinha

Imagem: Getty Images
Imagem: Imagem: Getty Images

Fernanda Colavitti

Colaboração para Universa

06/01/2021 04h00

"Esqueci, mas eu fiz todos os exames recentemente". "Tenho alergia". "Sempre uso, você é a primeira". "Você pode confiar em mim".

O clima começa a esquentar, mas na hora do sexo o cara se recusa a usar camisinha. Quem nunca teve que lidar com um boy assim? 2021 e os caras continuam dando as mesmas desculpas esfarrapadas para nos convencer a transar sem proteção.

Haja argumento furado para tanto homem sem noção. Um estudo recente realizado pela Unesp em parceria com a Bayer feito com mais de 2 mil homens de dez capitais brasileiras mostrou que 73% dos entrevistados já transaram sem proteção, e apenas um terço afirma usar preservativo em todas as relações.

No entanto, mais de 95% da população sabe que a camisinha é o modo mais eficiente de não contrair doenças, segundo levantamento do Ministério da Saúde. O que explica esse comportamento kamikaze?

"Os homens reconhecidamente descuidam da saúde de modo geral, não só da saúde sexual. Ainda entendem cuidado como uma função feminina", afirma a sexóloga Ana Canosa, colunista de Universa.

Mais uma vez, o machismo

Além disso, tem uma mãozinha daquele velho conhecido de todas nós: o machismo. Sempre ele, como entrega Ana Canosa.

Há um prazer no convencimento. Os caras formaram a sua compreensão de sexualidade na situação de ter que convencer a mulher a praticar sexo. Se a mulher pede para usar preservativo, acionam o modo automático daquilo que acham que é melhor para eles, não para a mulher - o que torna ambos vulneráveis

E do lado das mulheres ainda existe muita insegurança, medo de se impor. Também fruto da sociedade machista em que vivemos. "As mulheres foram treinadas para serem obedientes", diz Ana. O conselho da sexóloga para virar esse jogo é carregar sempre uma camisinha na bolsa. E diante de insistências, usá-la em outra ocasião, com um parceiro melhor. Ok, nem sempre é tão fácil, a gente sabe, mas totalmente possível! A seguir, leitoras do Universa relatam situações pelas quais passaram:

"Consigo saber precisamente quantos caras tiveram a iniciativa de usar camisinha sem que eu pedisse. Foram três!"

Melissa Yasmine: "Peço para o cara por camisinha, mas confesso que me sinto muito desconfortável" - arquivo pessoal - arquivo pessoal
Melissa Yasmine: "Peço para o cara por camisinha, mas confesso que me sinto muito desconfortável"
Imagem: arquivo pessoal

"Comecei a transar aos 14, com meu primeiro namorado. Posso falar que tenho uma vida sexual ativa há 30 anos. Por mais surpreendente que pareça, consigo saber precisamente quantos caras tiveram a iniciativa de usar camisinha sem que eu pedisse. Foram três! Tirando esses, todos se fizeram de esquecidos! No início, eu tinha até vergonha de pedir, e acabava transando sem camisinha. Hoje em dia eu peço, mas confesso que ainda me sinto muito desconfortável.

Uma vez sai com um cara que conheci na internet, falamos por muito tempo antes de nos vermos. A proposta de transar sem camisinha veio logo no início da conversa. Ele dizia que queria 'me sentir', queria ver o esperma saindo de dentro de mim. Eu estava apaixonadíssima e para mim tudo fazia parte de uma "pseudo" ligação emocional fortíssima entre nós. Nos encontramos depois de um tempo e estávamos muito ligados e ansiosos por aquele momento, nem pensei em camisinha, ele nem se manifestou também. Saímos essa vez, ficamos juntos a noite toda como se não houvesse amanhã. Mas as mensagens foram parando e não nos vimos mais. Paramos de nos falar pouco tempo depois." Melissa Yasmine, 45, de Búzios (RJ)

"Já fui idiota o suficiente para cair nesse papo. Aprendi a lição"

"Já perdi as contas de quantos caras inventaram desculpas para não usar camisinha, e os argumentos são sempre os mesmos (esqueci, quero te sentir melhor, fiz exames recentemente etc.) acho que é mais fácil contar quantos não tentaram. O meu caso mais recente foi o de um cara que conheci no Tinder e com quem me envolvi por alguns meses. Nos primeiros encontros, apesar de dar aquela tentada básica na hora, eu falava não, e ele respeitava. Mas foi só a gente começar a se ver com certa frequência que já começaram os papinhos de que ele fazia exames a cada sei lá quantos meses, e que não estava ficando com mais ninguém além de mim (o que eu descobri depois que era mentira). Fui idiota o suficiente para cair nesse papo, e por sorte não aconteceu nada comigo. Foi bom para aprender a lição. Hoje em dia não caio mais nessa. Não tem camisinha, adeus. Uso meu vibrador depois." Rebeca Moraes, 38, São Paulo (SP)

"Ele respondeu que não funcionava de camisinha"

Marina Rotty, 43, São Paulo (SP): "Cara disse que não funcionava de camisinha" - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Marina Rotty, 43, São Paulo (SP): "Cara disse que não funcionava de camisinha"
Imagem: Arquivo pessoal

"Eu e meu marido conhecemos um casal em uma festa de aniversário. Eles nos chamaram para a casa deles para um swing. Ia tudo bem, até que o cara quis ficar comigo sem camisinha. E ele foi chegando sem falar nada, tipo já querendo penetrar sem preservativo. Eu que perguntei: "cadê a camisinha?" Ele respondeu que não funcionava de camisinha. Então eu disse que ele precisava treinar transar de camisinha antes de propôr sexo casual a alguém. Ele ficou sem graça, eu fui tomar uma bebida e não transamos. Nos vimos uma ou duas vezes na balada, mas perdi a vontade de transar com ele." Marina Rotty, 43, São Paulo (SP)

Tirar camisinha sem avisar é crime. Entenda:

A prática de "stealthing (significa "ocultação", "dissimulação", em inglês), quando alguém sabota a camisinha durante o ato sexual, removendo-a sem o consentimento da outra pessoa, pode ser enquadrado como crime pelo Código Penal brasileiro pelo artigo 215, que fala sobre violação sexual por meio de fraude: "Ter conjunção carnal ou praticar outro ato libidinoso com alguém, mediante fraude ou outro meio que impeça ou dificulte a livre manifestação de vontade da vítima". A advogada Marina Ruzzi, da Braga & Ruzzi Sociedade de Advogadas, que atende especificamente mulheres, explica que o ato de tirar o preservativo sem o consentimento da pessoa pode ser uma violação sexual, e que perfurar a camisinha propositalmente também se enquadraria em dissimulação.

* Com informações de Tirar camisinha sem consentimento é crime: elas contam casos de stealthing

Sexo