PUBLICIDADE

Topo

Vereadora trans relata ameaça: 'Vou te matar do jeito que matamos Marielle'

"Depois das eleições, as coisas complicaram muito", diz vereadora eleita pelo PSOL em Niterói (RJ) - Reprodução/Facebook
"Depois das eleições, as coisas complicaram muito", diz vereadora eleita pelo PSOL em Niterói (RJ) Imagem: Reprodução/Facebook

Marcela Lemos

Colaboração para Universa, no Rio de Janeiro

08/12/2020 12h45

Após ser eleita a primeira mulher trans na Câmara de Vereadores de Niterói (RJ), cidade da região metropolitana do Rio de Janeiro, Benny Briolly (PSOL) voltou a receber ameaças de morte. O caso será novamente registrado na delegacia, informou a parlamentar que vai assumir ano que vem uma cadeira na Casa.

"Não adianta avisar a polícia ou andar com seguranças. Nada no mundo vai me impedir de te matar. Vou te matar do mesmo jeito que meu grupo matou a Marielle! Pois é. Nós matamos a Marielle", diz uma mensagem anônima enviada ontem por e-mail para Benny.

No texto enviado, a pessoa ainda demonstra um perfil transfóbico.

"Enquanto você ganha um salário de vereador apenas por ser um pedreiro de peruca, eu estou desempregado, minha esposa está com câncer de mama e estamos vivendo do auxílio emergencial. Eu juro que se você não renunciar ao mandato vou comprar uma pistola 9mm no Morro do Engenho aqui no Rio de Janeiro e uma passagem só de ida para Niterói e vou te matar. Eu já tenho todos os seus dados e vou aparecer aí na sua casa".

Para Universa, Benny avaliou a mensagem como assustadora.

"A gente não sabe se faz parte desse escritório do crime ou não, como eles se organizam. Para mim é preocupante. É assustador. Depois das eleições, as coisas complicaram muito. São xingamentos e ameaças de linchamento nas ruas. Essa é a primeira ameaça de morte após as eleições. Estou me sentindo bem vulnerável", disse a vereadora eleita.

De acordo com Benny, o e-mail é assinado por uma pessoa que faz parte de uma rede de ódio na internet. Trata-se, segundo ela, de um ataque coordenado a parlamentares.

"Nossa resposta ainda é a mesma: não vamos sair dos espaços de poder. A estrutura transfóbica e racista deste país não vai prevalecer."

Benny já havia registrado um boletim de ocorrência antes das eleições municipais por ameaça e crime de LGTBfobia. Uma das mensagens recebidas dizia "Ronie Lessa vai te pegar", em referência ao suspeito de participar do assassinato de Marielle Franco.

Quem é Benny Briolly?

Benny vai estrear ano que vem na Câmara de Vereadores de Niterói. Ela tem 29 anos e fez história como a primeira trans eleita para o cargo. Foi também a mulher mais votada na sua cidade: Ficou em quinto lugar com 4.367 votos.

Nascida em Niterói, a representante do PSOL morou em comunidades do bairro do bairro do Fonseca e começou a participar do movimento LGBT ainda na escola. Um dos seus objetivos no legislativo é lutar por isenção fiscal para empresas que contratarem pessoas trans.