Topo

Mulher morta ao sair para comprar fralda foi estuprada, indica laudo

Aline Silva Dantas sumiu de casa depois de ir à farmácia comprar fraldas para a filha - Reprodução
Aline Silva Dantas sumiu de casa depois de ir à farmácia comprar fraldas para a filha Imagem: Reprodução

Wagner Carvalho

Colaboração para o UOL, em Bauru (SP)

03/10/2019 14h35Atualizada em 03/10/2019 23h11

A jovem Aline Silva Dantas, 19, foi vítima de estupro antes de ser morta após sair para comprar fraldas em Alumínio (SP). A informação foi divulgada pela Polícia Civil de Sorocaba (SP), com base em laudos do Instituto Médico Legal (IML), no corpo da vítima.

O eletricista Heronildo Martins de Vasconcelos, 45, foi detido ontem em casa, suspeito de ser o autor do crime. No momento da prisão, ele negou o envolvimento no assassinato e solicitou a presença de um advogado.

De acordo com Marcelo Carriel, delegado titular da Delegacia Seccional de Sorocaba, a perícia confirmou que havia sêmen do suspeito no material genético colhido da vítima. Os laudos apontam também que Aline Dantas lutou contra o seu agressor na tentativa de se defender.

"Além do sêmen encontrado no corpo da Aline Dantas, restos de pele do suspeito foram retirados de debaixo das unhas da jovem, todo o material foi confrontado com o cedido por Heronildo Martins e houve a confirmação de 100% de compatibilidade. A prova que temos é incontestável, mesmo ele negando ser o autor, não há dúvidas", afirma Carriel.

Heronildo Martins é preso suspeito de matar Aline; ele nega participação no crime - Polícia Civil/Divulgação
Heronildo Martins é preso suspeito de matar Aline; ele nega participação no crime
Imagem: Polícia Civil/Divulgação
Aline foi morta ainda em 8 de setembro, depois de sair de uma farmácia onde entrou para comprar fraldas para a filha de um ano de idade. Para o delegado não houve premeditação no caso. "Foi crime de oportunidade, a jovem passou pela rua, o Heronildo a seguiu pela trilha e cometeu o crime", narra o delegado que ainda explica que o suspeito agiu sozinho, sem a ajuda de um terceiro.

A polícia afirma que trabalhava no início das investigações com quatro possíveis autores para o crime. Os suspeitos tinham registros de crime sexual anteriormente. Mas a partir de 19 de setembro, Heronildo Martins passou a ser o principal suspeito, já que o modus operandi deste caso batia com uma tentativa de estupro cometida por ele em 2012.

"O jeito de se vestir e andar, toda a análise de campo, de imagens e a testemunha que o viu sair da mata na segunda-feira pela manhã apontava para o nosso suspeito", afirma a delegada Luciane Bachir, titular da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Sororcaba.

"Queria olha nos olhos dele"

Ainda bastante abatido com a morte da filha, o pai de Aline, Almir Leite Dantas, afirmou que a justiça está sendo feita.

Minha menina nunca fez mal pra ninguém, nós nunca fizemos o mal, mas ela morreu por causa da covardia desse homem. Eu queria olhar nos olhos dele, olhar nos olhos dele e perguntar: por que a minha filha? Eu fiquei sabendo que ele tem uma filha na idade da Aline, como pode? Como ele conseguiu cometer tamanha barbaridade?
Almir Leite Dantas, pai de Aline

João Vitor de Almeida Ávila, que no início das investigações teve sua participação descartada, após o cão Max, da raça Bloodhound, pertencente a Gaurda Civil de Itupeva, descartar a sua presença na cena do crime não foi encontrado para comentar a elucidação do caso.

O caso

Moradora de Alumínio, Aline desapareceu em 8 de setembro, por volta das 16h. Ela saiu de casa para ir até a farmácia para comprar fraldas para a filha de um ano de idade. Como a farmácia que estava acostumada a comprar as fraldas estava fechada por ser um domingo, a jovem foi até outro estabelecimento um pouco mais afastado da sua residência.

As câmeras de segurança do local mostram quando Aline entrou na farmácia e quando saiu após ter o pagamento negado, já que o cartão do beneficio do marido havia sido cancelado pela empresa onde ele trabalhava.

Imagens de outros estabelecimentos e imóveis registraram Aline caminhando para retornar para casa. Ao pegar uma trilha que encurtava a distância para o retorno, as imagens mostram a jovem sendo seguida por um homem vestido de preto que a Polícia Civil afirma ser Heronildo Martins.

O corpo de Aline Dantas só foi encontrado na tarde de 11 de setembro, com ajuda de cães farejadores do Guarda Civil de Itupeva (SP). Eles refizeram o caminho que Aline fez pela mata até encontrar o corpo da jovem parcialmente queimado embaixo de um pilha de madeiras.

Suspeito já cumpriu pena por estupro

Band Notí­cias

Mais Violência contra a mulher