Topo

Violência contra a mulher


Acusado de agredir namorada, lutador paga fiança de R$ 10 mil e é liberado

Lutador é acusado de agredir namorada no RJ - Reprodução/TV Globo
Lutador é acusado de agredir namorada no RJ Imagem: Reprodução/TV Globo

Marcela Lemos

Colaboração para o UOL, do Rio de Janeiro

19/08/2019 20h35

Francinei Farinazo, lutador e professor de muay thai de uma academia em Campos dos Goytacazes, cidade do Norte Fluminense, foi preso ontem suspeito de agredir a namorada, Cíntia Maciel, 31, e levá-la para o hospital Ferreira Machado alegando acidente de carro, segundo informações da delegacia da cidade.

De acordo ainda com a Polícia Civil, a vítima deu entrada no Hospital Ferreira Machado muito machucada e, devido aos tipos de ferimentos identificados, a PM foi acionada e o namorado dela, preso.

No entanto, o lutador ficou menos de 24 horas detido. Ele pagou fiança de R$ 10 mil e liberado. Questionada, a Polícia Civil disse que a soltura dele ocorreu conforme determina a lei.

"O pagamento da fiança pode ser arbitrado quando a pena não ultrapassar quatro anos. Diligências estão em andamento para apurar as circunstâncias do fato", explicou a Polícia Civil do Rio através de nota.

A vítima, que também é médica, recebeu alta na manhã de hoje e até o início da tarde não havia prestado depoimento. Demais testemunhas já foram ouvidas. Ela declarou à Globo que não se lembra dos detalhes, apenas que começou a ser agredida dentro do carro e que acordou no hospital.

A liberação do professor causou revolta na cidade. Na página pessoal do lutador no Facebook, internautas comentaram o caso e o acusaram de apagar postagens mais recentes da conta.

"Esse ai é o covarde que espancou a sua namorada. Covarde tinha que apodrecer na cadeia.", escreveu um morador. "Covarde que bate em mulher. Espero que encontre um homem que faça o mesmo com você", postou outro internauta.

O UOL fez contato com o professor, mas até o momento não houve retorno.

A academia Bodytech, em Campos, onde o professor trabalha, publicou em suas redes sociais ontem, após a repercussão do caso, que Francinei Farinazo seria desligado hoje e afirmou "que não procede a informação que a academia efetuou pagamento de fiança", como muitos internautas alegaram na internet.

Procurada, a prefeitura de Campos dos Goytacazes lamentou o ocorrido e disse que a paciente foi "prontamente atendida na unidade". O governo municipal aproveitou para enfatizar que denúncias podem ser realizadas através do número 180 - Central de Atendimento à Mulher