Topo

Violência contra a mulher


Compositor de músicas de Simone e Simaria é preso por agredir mulher

Cantor Paulynho Paixão foi preso em flagrante por agredir a mulher - Reprodução/Instagram
Cantor Paulynho Paixão foi preso em flagrante por agredir a mulher Imagem: Reprodução/Instagram

Aliny Gama

Colaboração para o UOL, em Maceió

12/08/2019 11h03

O cantor e compositor piauiense Francisco de Paula Moura, conhecido como Paulynho Paixão, foi preso em flagrante pela Lei Maria da Penha, suspeito de espancar a mulher em um hotel no município de Bacabal (MA), a 247 km de São Luís, na madrugada de ontem. Ele pagou fiança e foi liberado.

No sábado, o cantor se apresentou em uma casa de show em Bacabal e, no domingo, após o episódio, fez show no município de Lima Campos (MA), na região do médio do Mearim.

Segundo a polícia, a mulher do artista, Wilma Alves da Silva, 26, conseguiu fugir do quarto do hotel, ensanguentada, após ser espancada com socos, chutes e ter a cabeça atingida por uma cadeira arremessada por Paixão. O quarto que o casal estava hospedado teve vários objetos quebrados.

De acordo com o registro da PM, por volta das 4h30 de domingo, a mulher chegou a pé à delegacia de Bacabal e pediu ajuda a uma guarnição do 15° Batalhão da PM (Polícia Militar), que estava conduzindo um preso. Policiais foram até o hotel e prenderam Paulynho Paixão em flagrante.

Após prestar depoimento e registrar boletim de ocorrência, a vítima foi levada ao hospital para ser medicada. Ela se submeteu a exame de corpo de delito.

Em depoimento à polícia, ele negou que teria agredido a mulher. O cantor pagou fiança, que não teve o valor divulgado pela polícia, e foi liberado.

No Instagram, Paulynho Paixão publicou várias fotos com a mulher. Em uma das imagens ele escreveu: "amar é viver todos os momentos bons e quando surgir um obstáculo nos entregar a força do amor."

Em 2011, Paulynho Paixão foi detido suspeito de agredir uma namorada de 16 anos dentro de um carro, após um show em Teresina (PI). A jovem estava ensanguentada dentro do carro, quando o veículo foi abordado pela Polícia Militar e o cantor alegou que a namorada havia se machucado com uma freada.

A adolescente foi levada para o Hospital de Urgência de Teresina e, depois de receber alta, foi com a família até a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente relatar que teria sido agredida pelo artista.

Em 2017, o artista estava dormindo nas ruas em São Paulo, sem contato com a família, e justificou que ficou naquela situação por ser usuário de drogas e alcoólatra. Ele pediu ajuda e ganhou tratamento de desintoxicação de um programa de televisão.

Paixão compôs várias músicas que fizeram sucesso como Agora e Sempre e Pássaro Noturno, cantadas por Simone e Simaria, Alô e Dá um tempo vai, gravadas pelo cantor Léo Magalhães, e Nota Dez, gravada por Xandy Avião.

Outro lado

A assessoria de Paulynho Paixão informou que ele não vai se pronunciar sobre o ocorrido.

A reportagem do UOL entrou em contato com o empresário do cantor, identificado por Valdemir Otávio, ele negou que Paixão agrediu a mulher, classificando o ocorrido como uma "briga de marido e mulher" e que "já está tudo resolvido".

"Entre quatro paredes, o casal se entende. Ela se arrependeu de ter mentido, de ter falado besteira e foi lá na delegacia e retirou a queixa". Ao ser informado pela reportagem que a Lei Maria da Penha impede retirada de registro de violência contra mulher, o empresário do artista disse que "a polícia estava errada."

O UOL tentou contato com Wilma Alves da Silva, mas não conseguiu.