PUBLICIDADE
Topo

Robôs fazem "meio de campo" entre pacientes e médicos especialistas em SP

Médico faz videoconferência com paciente via tablet acoplado em robô - Divulgação
Médico faz videoconferência com paciente via tablet acoplado em robô Imagem: Divulgação

Thiago Varella

Colaboração para Tilt

12/07/2020 04h00

Os prontos-socorros de um plano de saúde paulista estão utilizando robôs para atendimentos por videoconferência. O paciente é atendido pessoalmente por um médico emergencista de plantão. Caso seja necessária a opinião de outro especialista para definir o diagnóstico, esse outro médico é consultado por intermédio de um robô.

Segundo o plano Prevent Senior, a medida ajuda a poupar tempo, já que, anteriormente, era necessário chamar o especialista que tinha de enfrentar todo o trânsito de uma megalópole como São Paulo, resultando em uma espera de uma a duas horas, o que, muitas vezes, retardava o início do tratamento. Além disso, em tempos de pandemia de covid-19, o médico não corre o risco de ser contaminado em um pronto-socorro hospitalar.

O serviço começou a funcionar em março e, desde então, mais de 250 mil atendimentos médicos foram feitos por videoconferência, seja via robô, computador, celular ou tablets. São mais de 3.000 videoconferências por dia nos cinco postos de pronto atendimento do plano. Mas, o serviço ainda não funciona 24 horas por dia, algo que deve ser implantado em breve.

Os robôs foram fabricados pela Double Robotics, empresa do Vale do Silício, na Califórnia (EUA). Outros equipamentos estão sendo comprados pelo plano para funcionarem nos hospitais do grupo.

Cada robô tem um tablet, que mostra as imagens da videoconferência. O médico especialista pode conversar com o plantonista, o próprio paciente, seus acompanhantes ou enfermeiros. O equipamento roda livremente pelos corredores dos postos de pronto atendimento e é comandado à distância.

Como é uma novidade, os robôs ainda chamam muito a atenção das pessoas que vão se consultar nos postos.

"As pessoas param para olhar o robozinho passando, e se surpreendem quando o monitor vira para elas, ao mesmo tempo que o médico que controla o robô à distância cumprimenta os pacientes em alto e bom som. Alguns dos beneficiários chegam mesmo a tirar selfies ao lado dos robozinhos", afirmou, em nota, a médica Bruna Prado, coordenadora de telessaúde da Prevent.