PUBLICIDADE
Topo

Vai levar o celular para o bloco de Carnaval? Veja dicas de segurança

Luciola Villela/ UOL
Imagem: Luciola Villela/ UOL

Bruna Souza Cruz

De Tilt*, em São Paulo

15/02/2020 16h55

A temporada dos blocos de Carnaval começou e muitos foliões estão neste exato momento se preparando para cair na festa. Se você é um deles e vai levar o celular junto, não deixe de conferir algumas dicas de ouro para que a diversão não acabe antes mesmo de começar.

Infelizmente, sabemos que no calor do Carnaval muita gente acaba perdendo o celular ou tem o aparelho furtado ou roubado. Por isso, a recomendação é que você mexa em algumas configurações antes mesmo de sair de casa. Elas ajudam a aumentar a sua segurança e podem até dificultar a vida do ladrão.

Matenha o GPS ativado

Os mais preocupados com a privacidade acabam desligando o GPS do celular para que o aparelho não fique coletando os locais pelos quais eles passam. No entanto, é fundamental que ele esteja ativado. Só assim será possível, por exemplo, tentar rastrear o celular após um furto. Para ativar, observe os passos abaixo:

Android

  • Vá nas configurações do aparelho e procure a opção "Localização" (em alguns modelos ela é chamada de "Local"). Se o item estiver desligado, é preciso ativá-lo.
  • Volte agora para o menu principal das configurações e encontre o item "Google", selecione e entre em "Segurança".

Como localizar um dispositivo Android - tela 1 - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

  • A opção "gerenciar o seu dispositivo Android" aparece na tela. Em outros modelos, a opção "Encontre Meu dispositivo" aparece direto.
  • Habilite o "Localizar remotamente o dispositivo" e "permitir o bloqueio e limpeza remotos" -- essa última parte é essencial para que você consiga apagar os seus arquivos mesmo que não esteja com o celular por perto.

Como localizar um dispositivo Android - tela 3 - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

Em caso de perda, furto ou roubo, você pode verificar a localização do seu dispositivo abrindo o aplicativo "Localizar o meu dispositivo" (caso não esteja instalado, baixe gratuitamente na Google Play). Você pode usar qualquer celular Android que tenha o app instalado. Ou ainda pode fazer a busca pela internet no endereço: android.com/find

Agora, entre com o seu usuário e senha associados ao Google. Se celular ainda estiver ligado e com o GPS ligado, a localização do dispositivo vai aparecer no mapa que surge na tela.

Junto ao endereço aparecem três opções: bloqueio do aparelho, apagar tudo ou emitir um som. Neste último caso o alerta sonoroso funciona mesmo se o seu celular estiver no silencioso e é ideal em caso de perda. Vai que alguém ouve e encontra?!

Como localizar um dispositivo Android - tela 3 - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

iOS

  • Vá em "Ajustes" e encontre a opção "Privacidade".
  • Habilite os "Serviços de Localização", caso não estejam ligados.

Como localizar um dispositivo iPhone - tela 1 - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

  • Agora, volte para os "Ajustes" e selecione o iCloud, role a tela e habilite o "Buscar".

Para verificar a localização do seu iPhone, abra o site do iCloud e entre com sua conta online ou use o aplicativo "Buscar".

Uma vez rastreado, um mapa com endereço atual ou a última vez que o dispositivo emitiu um sinal surge na tela. Então, você poderá ativar o "Marcar como Perdido" para que o celular fique bloqueado. Também será possível apagar todo o conteúdo do aparelho.

Saiba o IMEI do celular

Outra recomendação fundamental de segurança é ter anotado em um lugar de fácil acesso o IMEI (Identificação Internacional de Equipamento Móvel) do celular. Ela funciona como um RG que identifica o seu aparelho. Cada dispositivo possui um código único.

Em caso de roubo, furto ou perda, você vai precisar informar o IMEI durante o boletim de ocorrência. Assim, o celular entrará em um cadastro de aparelhos bloqueados da Anatel e não poderá ser mais usado. A informação também deverá ser passada para a operadora da sua linha telefônica para facilitar o bloqueio.

Como descobrir o IMEI? É fácil.

  • Digite *#06# no teclado do celular e confirme. Em seguida, o IMEI aparecerá na tela.
  • Anote o número. Em alguns modelos, o IMEI aparece gravado na parte de trás do aparelho. A informação também consta na caixa em que o celular foi vendido.

Verificação de duas etapas

É aquela famosa camada extra de segurança. Vários aplicativos a adotaram, como WhatsApp, Facebook, Instagram, apps de emails, entre outros.

Cada programa tem uma forma para ativar a verificação em duas etapas, mas geralmente ela fica nas configurações do aplicativo.

Ao tentar entrar com usuário e senha, um código SMS com uma senha temporária é enviado para o número do celular. Só com ele, é possível usar determinado aplicativo novamente.

Caso você não tenha mais o seu celular em mãos e já tenha conseguido reativar o seu chip telefônico, pegue um aparelho emprestado e baixe seus apps novamente. Em seguida, entre com seus logins e senhas em todos eles. Os especialistas em segurança recomendam que o usuário altere a senha de login que usava para acessar os programas.

Backup

Ah! E não se esqueça de ativar o backup automático do seu celular. O processo salva todas as suas fotos, vídeos, mensagens e tudo mais na nuvem. Ou seja, não ficam armazenados apenas no dispositivo.

Nos casos de roubo/furto, os criminosos acabam resentando o celular para o padrão de fábrica, deletando tudo que tem dentro.

Antes de sair para os bloquinhos, ative a ferramenta de backup:

  • O Google Fotos faz isso muito bem com suas fotos e vídeos com a opção "Backup e sincronização" nas configurações.
  • O WhatsApp também, via Google Drive (no Android) ou iCloud (no iPhone), via Configurações > Conversas > Backup de conversas.
  • Redes sociais como Facebook, Facebook Messenger e Instagram já põem seu conteúdo na nuvem. Assim como certos serviços do Google sincronizam sozinhos, como o Google Docs.

Após um possível roubo, basta baixar esses apps, entrar com seu usuário e senha, e seguir os passos de cada aplicativo para restaurar o conteúdo apagado em um outro celular.

*Colaboração Márcio Padrão

SIGA TILT NAS REDES SOCIAIS