PUBLICIDADE
Topo

Por Onde Anda

Contamos a história de artistas que foram famosos e estão afastados do mundo do entretenimento, investindo em uma outra carreira, ou vivendo em outro país.


Aos 52 anos, Gisele Fraga explica sumiço e se prepara para deixar o Brasil

A atriz Gisele Fraga - Zanone Fraissat/Folhapress
A atriz Gisele Fraga Imagem: Zanone Fraissat/Folhapress

Renata Nogueira

De Splash, em São Paulo

27/05/2022 04h00

Musa dos anos 1980, Garota do Fantástico, queridinha da publicidade e dona de papeis em novelas de diversas emissoras. Gisele Fraga carrega um portfólio bastante diversificado, mas já há algum tempo optou por um período sabático. Não só pela pandemia que assolou o mundo, mas por um problema de saúde que a impede de voltar aos palcos há mais de um ano.

A atriz, que atualmente está vivendo em Búzios (RJ), quebrou o pulso no ano passado e teve de passar por uma cirurgia para colocar uma placa de titânio. Há duas semanas, ela se acidentou novamente e teve uma nova fratura no pulso. Nesse meio tempo, se prepara para deixar o Brasil e viver nos Estados Unidos.

"Estou com a minha casa à venda porque quero ir morar na Califórnia. Existe a possibilidade de voltar a atuar, mas para ator e atriz não existe passagem de tempo. Não existe ex-ator. Existe ator que envelhece. Não dá mais para ter 20 e poucos anos, e eu tenho 52", conta a atriz em entrevista a Splash.

Seu último papel no cinema, inclusive, foi há mais de dez anos. Ela atuou em "Relações Criminosas" (2011) como esposa do protagonista Ray Liotta, ator que morreu ontem aos 67 anos. O convite para o papel internacional veio em 2009 enquanto ela estudava em Los Angeles e foi vista atuando por um dos produtores do filme. Voltar para os EUA é um sonho antigo.

filme - Divulgação - Divulgação
Gisele Fraga e Ray Liotta foram marido e mulher no filme 'Relações Criminosas' (2011)
Imagem: Divulgação

"Já era para eu ter ido morar lá desde aquela época [2009], porque eu tinha como optar pelo Green Card [visto permanente] e queria ficar lá. Mas eu era casada, meu ex-marido não queria, e ao mesmo a gente não estava bem. Deu tudo errado. Fiquei por aqui, me separei, vendi patrimônio, até que eu consegui resolver as coisas. Estou numa mansão aqui, mas quero vender e ir embora", confessa.

Segundo Gisele, o divórcio conturbado em 2011 —logo após o lançamento de seu filme— mudou completamente seu destino. A separação foi muito traumática e dolorosa para atriz, principalmente depois que ela viu o nome do seu ex e seu próprio nome envolvidos em um esquema de corrupção denunciado pela Operação Lava Jato.

A atriz era sócia do então marido em uma das empresas que estavam sob investigação. "Eu nunca poderia imaginar que esta empresa estava envolvida em qualquer esquema de corrupção. Eu assinava papéis sem saber o que era", contou a atriz em uma entrevista ao UOL em 2017.

"Mulheres dos diretores são sempre as protagonistas"

gisele - Reprodução/TV Globo - Reprodução/TV Globo
Gisele Fraga contracena com Luigi Baricelli em "Malhação"
Imagem: Reprodução/TV Globo

Passado o tornado que se tornou sua vida após o fim do casamento de dez anos, Gisele acredita que a idade é outro fator que pode atrapalhar sua carreira. "Óbvio que vontade de atuar eu tenho, nasci para isso, mas fico pensando se tem uma personagem para mim que caiba dentro da minha idade. Entra novela, sai novela já estão com o elenco pronto", lamenta. Ela também critica algumas escalações que se repetem.

"Na maior parte das vezes, são as mulheres dos diretores que são sempre as protagonistas. Ou aquelas atrizes das antigas. Já fiz muita coisa, gosto de trabalhar, me sinto bem trabalhando, mas vejo que existe uma concorrência gigantesca no país." Cansada da "egotrip" que domina o setor, a brasileira prefere tentar a nova vida fora do país.

"Pela minha experiência do que vivi aqui e lá fora, quando você trabalha lá fora é muito mais valorizado. Eu fiquei um pouco decepcionada com o que diz respeito à televisão. Aqui é uma 'egotrip' muito grande de todos os lados. Não só na interpretação, em tudo", comenta. Pelo seu papel em "Relações Criminosas", nos EUA, Gisele chegou a ganhar uma estatueta de melhor atriz no no Hoboken International Film Festival.

Decepcionada com o cenário atual do Brasil, Gisele não vê possibilidade de repetir os "anos dourados" que já viveu por aqui.

"O Brasil já deixou de ser aquela alegria de viver faz tempo. Eu vivi anos dourados no Brasil, trabalhei muito, vivi muita coisa bacana na época que as pessoas sabiam nome e sobrenome de todos. Hoje em dia qualquer um faz alguma coisinha e já é escalado para o 'BBB'. A fama vem em milésimos de segundos, enquanto você passa anos para construir uma carreira", lamenta.

Sua esperança é reencontrar a segurança e tranquilidade e, quem sabe, poder retomar sua carreira internacional.

"Sempre quis viver fora, sempre quis falar inglês, sempre tive esse sonho. Já morei em Nova York, fui várias vezes e voltei. Quando vejo alguém que está lá fazendo e acontecendo eu penso 'por que eu voltei?' Ainda mais agora que está tão difícil, né? Não tenho mais vontade de ficar aqui, ainda mais o Brasil com essa burocracia, essa bagunça. A gente nunca sabe o que vai ser do Brasil."