PUBLICIDADE
Topo

Luciana Bugni

Edson Celulari grávido aos 63 é a notícia que animou a galera: por quê?

Edson Celulari e Karin Roepke: dá pra sentir a felicidade daí? - Instagram
Edson Celulari e Karin Roepke: dá pra sentir a felicidade daí? Imagem: Instagram
Conteúdo exclusivo para assinantes
Luciana Bugni

Luciana Bugni é gerente de conteúdo digital dos canais de lifestyle da Discovery. Jornalista, já trabalhou na "Revista AnaMaria", no "Diário do Grande ABC", no "Agora São Paulo", na "Contigo!" e em "Universa", aqui no UOL. Mora também no Instagram: @lubugni

Colunista do UOL

18/09/2021 04h00

Edson Celulari não sabe, mas foi meu primeiro amor. Eu estava aprendendo a escrever enquanto seu Jean Pierre, de Que Rei sou Eu?, tentava fazer a revolução e livrar Avilan das maldades de Ravengar (Antonio Abujamra). Edson Celulari é querido por todos na TV desde muito tempo.

Anos depois, seu playboy Ricardo Bismark mexeu com a minha libido pré-adolescente em cenas calientes com Maria Escadalosa (Claudia Raia). A novela era Deus nos Acuda e originou o casamento de Edson e Claudia na vida real, que durou anos. Um divórcio civilizado, anos depois, uma daquelas situações raras: os fãs continuaram gostando e torcendo pelos dois.

Por isso, o carinho na internet quando Celulari, aos 63 anos, anuncia que a mulher, Karin Roepke, está grávida da primeira filha do casal. A foto já enche nosso coraçãozinho, castigado de dores, de alegria. O ator está genuinamente feliz, ambos sorriem: como é bom quando o amor transborda assim.

Caetano Veloso canta em sua "Homem" que não tem inveja de quase nada que uma mulher possa ter (lactação, maternidade, menstruação, sagacidade ou intuição, por exemplo). Apenas inveja a longevidade e os orgasmos múltiplos. Eu diria que tenho inveja de um homem poder decidir pela paternidade a qualquer momento da vida.

Uns anos depois dos 40 as mulheres já começam achar arriscado demais engravidar. A cobrança da sociedade vira um martírio, acaba com relacionamentos às vezes. É injusto que esse cronômetro gire ao contrário para nós. Mas há histórias felizes, claro. Carolina Ferraz, mãe aos 46, por exemplo. A gravidez de Solange Couto, aos 54, já foi polêmica, embora não tenha tido nenhum problema. Benjamim nasceu quando ela tinha 55 anos e ambos estão muito bem. Hoje, o garoto tem 10 anos. Mas tem sempre alguém disponível para julgar.

A grande questão fisiológica para o homem que se torna pai na maturidade é se terá forças para jogar bola com o filho. Na sociedade, ninguém julga — nem tem que julgar mesmo. Pra mulher é mais complicado. Além do puerpério cobrar sua conta em qualquer idade, ainda é preciso lidar com os olhares da inquisição. "Isso era hora?", "Ela enlouqueceu?", "Não sabia dos riscos?".

Injusto, no mínimo. Mulher tem sempre que estar explicando alguma coisa. Se eu fosse compor a versão feminina de Homem, de Caetano, não teria assim tantas coisas para invejar. Mas meu refrão citaria fazer xixi em pé sem molhar as pernas e o livre-arbítrio. Poder escolher o que quer fazer da vida sem ninguém achar que sabe mais que você deve ser bom demais.

Ao casal Edson e Karin, que a felicidade da foto os acompanhe todos os dias da vida. Ver gente querida feliz é gostoso demais.

Você pode discordar de mim no Instagram.