PUBLICIDADE
Topo

Lucas Pasin

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Rock in Rio não proibirá manifestações políticas de artistas: 'Liberdade'

Novo Palco Mundo do Rock in Rio foi apresentado em evento para jornalistas - Divulgação
Novo Palco Mundo do Rock in Rio foi apresentado em evento para jornalistas Imagem: Divulgação
Lucas Pasin

Jornalista há 14 anos, Lucas Pasin já experimentou as mais diversas áreas da profissão. Da rotina em redação aos releases de uma assessoria de imprensa, passando pelo marketing digital e comunicação corporativa. Mas, sem dúvida alguma, foi na cobertura do universo dos famosos que encontrou a maior curiosidade, e talvez, por isso, o maior reconhecimento profissional.

Colunista do UOL

09/05/2022 04h00Atualizada em 09/05/2022 06h24

O Rock in Rio 2022 terá sua abertura - dia 2 de setembro - um mês antes das eleições no Brasil, com primeiro turno agendado para dia 2 de outubro. É esperado, assim como aconteceu na última edição do Lollapalooza, que o festival também seja marcado por uma série de manifestações políticas, seja por parte dos artistas e público presente.

As possíveis manifestações, segundo Luis Justo, CEO Rock In Rio, não serão inibidas pela organização do festival. Em conversa com jornalistas, o empresário destacou a "liberdade de expressão" no evento.

Não entramos em discussões partidárias, de um candidato ou de outro. O que não impede, obviamente, num ambiente democrático, que pessoas com posicionamentos, como artistas ou público, se manifestem. Isso é inerente à democracia e sempre esteve presente no festival.

Luis Justo explicou que o Rock in Rio também busca discutir política: "Se você olhar para trás, nos últimos 37 anos que o Rock in Rio esteve presente na história do Brasil, verá que fazemos política. A nossa política é feita, por exemplo, quando falamos da importância da sustentabilidade, e quando construímos um Palco Mundo 100% reciclado. Essa é a nossa maneira."

O CEO completa:

Talvez hoje, situações como aconteceram no Lollapalooza, sejam mais potencializadas. Mas a verdade é que qualquer ambiente público permite que pessoas tenham liberdade de expressão.

Covid-19: 'Somos paranoicos com segurança'

Questionados sobre a possível aglomeração proporcionada pelo Rock in Rio e a preocupação ainda com a covid-19, Luis Justo explicou que os protocolos de segurança serão divulgados mais próximo ao evento:

"Segurança sempre foi e sempre será prioridade no Rock in Rio. Acompanhamos todo o processo de vacinação, os prazos e protocolos, inclusive para confirmar a realização do festival. Temos um comitê interno para a discussão dos protocolos. Ainda estamos distantes para listar aqui quais serão, mas, sem dúvida nenhuma, será o ambiente mais seguro do que a própria determinação de protocolos sanitários vigentes na época. Somos paranoicos com segurança."