PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Demian Maia desafia Nate Diaz para próxima luta no UFC

Demian Maia quer mais um compromisso no octógono do UFC - Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images
Demian Maia quer mais um compromisso no octógono do UFC Imagem: Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

Ag. Fight

Ag. Fight

14/06/2021 12h20

Ao que parece, Demian Maia ainda não está disposto a pendurar as luvas. Se antes do confronto contra Belal Muhammad no último sábado (12), o último previsto em seu contrato com o UFC, o veterano fazia mistério quanto à sua continuidade no esporte, depois da peleja, o faixa-preta de jiu-jitsu deixou claro seu interesse em fazer mais uma luta antes de se aposentar, e ainda elegeu o adversário ideal para sua despedida.

Em um longo texto publicado em sua conta oficial no Instagram, Demian 'convocou' o americano Nate Diaz para enfrentá-lo em sua "última dança" dentro do octógono do Ultimate. Apesar de ter saído derrotado do duelo contra Belal Muhammad no último sábado, no UFC 263, o veterano garantiu ter gás para mais um combate.

Contudo, o veterano, de 43 anos, deve ter uma dura missão antes de garantir sua luta de despedida: convencer Dana White. Durante a coletiva de imprensa do UFC 263, o presidente da entidade - ao ser questionado sobre o futuro de Demian - indicou que a disputa contra Belal Muhammad no último sábado foi provavelmente o fim da linha para o faixa-preta dentro do octógono mais famoso do mundo.

Considerado por muitos como o principal representante do jiu-jitsu no MMA de sua geração, Demian Maia construiu uma longa carreira no esporte, que se estende desde o início dos anos 2000, grande parte dela feita dentro do octógono do Ultimate. Pelo UFC, o faixa-preta venceu 22 combates, alguns contra grandes nomes da modalidade, como Jorge Masvidal, Carlos Condit, Chael Sonnen, Ben Askren, entre outros.

Demian também teve a oportunidade de disputar o título do UFC em duas ocasiões. Na primeira delas, com o cinturão dos pesos-médios (84 kg) em jogo, o paulista foi superado pelo compatriota Anderson Silva, em 2010. Já em 2017, em combate válido pela soberania da divisão dos meio-médios (77 kg), Maia não conseguiu derrotar o então campeão Tyron Woodley.

"Ontem à noite (sábado), eu tentei muito e infelizmente não fui capaz de ter minha melhor performance. Por mais frustrado que eu esteja, eu continuei tentando até o final e isso está no passado agora. Eu já estou olhando para frente como eu sei que o tempo passa rápido, e eu não vou estar fazendo isso por muito mais tempo.

Nate Diaz, eu vi sua citação na coletiva de imprensa, e eu também acho você excelente. Você é um grande lutador que também representa o jiu-jitsu e você é verdadeiro, eu respeito isso. Independentemente da noite passada, eu sei que eu ainda tenho uma luta restando em mim, e não é segredo que eu sinto que o UFC é a minha casa, onde eu quero terminar minha carreira.

Agora, eu não tenho ideia se eles vão me dar outra luta, mas se eles derem, eu ficaria honrado em fazer minha última luta de MMA com você, alguém que sempre vem para lutar, que representa o BJJ e que eu respeito. Eu tive uma longa carreira, lutei basicamente com todo mundo, e, com orgulho, representei o jiu-jitsu o melhor que pude.

Se eu tiver mais uma, eu não quero desperdiçá-la com alguém que eu não respeito. Então, se você quiser, e o UFC quiser fazer isso, (a luta) vai acontecer, e (ela) vai ser minha última dança. Muito respeito".

MMA