PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Dana diz que Jon Jones pediu cerca de R$ 160 milhões para encarar Ngannou

Jon Jones com o cinturão dos meio-pesados do UFC - Ronald Martinez/Getty Images
Jon Jones com o cinturão dos meio-pesados do UFC Imagem: Ronald Martinez/Getty Images

Ag. Fight

29/05/2020 19h37

A frustração de Jon Jones por não conseguir o duelo diante de Francis Ngannou respingou no presidente do UFC, Dana White. O atual campeão dos meio-pesados (93 kg) trocou acusações com o dirigente, rebatendo que ele tenha pedido uma quantia astronômica em dinheiro para fechar esse confronto. Mas não demorou muito até o cartola vir a público e divulgar quanto Jones solicitou.

Após a pesagem oficial do UFC Las Vegas, nesta sexta-feira (29), o mandatário afirmou que o americano queria embolsar a mesma quantia que ex-campeão dos pesos-pesados de boxe Deontay Wilder recebeu para encarar Tyson Fury, em sua última apresentação, em fevereiro deste ano.

"Vou citar o que ele disse ao meu advogado. Ele disse ao meu advogado que quer o que Deontay Wilder recebeu (por sua luta mais recente). Acho que foram 30 milhões de dólares (cerca de R$ 160 milhões) que Deontay Wilder recebeu", revelou Dana, em trecho transcrito pelo site 'MMA Junkie', antes de rechaçar que nunca mentiu sobre essa negociação.

"É divertido malhar na academia pela manhã vendo tweets de Jon Jones dizendo que estou mentindo. Temos mensagens de texto de Jon Jones. Não é como se eu não pudesse provar que o que estou dizendo é verdade. Temos mensagens de texto dele - mas não vou fazer isso. Não vou publicar as mensagens de texto dele na imprensa. Eu poderia fazer isso. Se Jon Jones quiser se sentar e fazer um teste de detector de mentiras sobre quem está mentindo e quem não está, também podemos fazer isso. O cara ganhou muito dinheiro - ganhou muito dinheiro. Se você olhar para o histórico de Jon Jones, mostre-me alguém que tenha esse histórico e que tenha ganho o dinheiro que Jon Jones ganhou. Isso não acontece", completou.

Apesar de rebater as acusações de Jones e o clima entre os dois estar em uma atmosfera de animosidade, Dana fez questão de colocar panos quentes. O presidente do Ultimate reforçou a admiração que tem pelo lutador e confessou que o considera o GOAT (siga de melhor de todos os tempos em inglês) do MMA.

"Eu gosto do Jon. Fui eu quem disse que não há debate. Não há argumento: ele é o GOAT. Não importa o que você pensa de suas duas últimas lutas, as três pessoas importantes disseram que ele venceu a luta. O cara ficou invicto. Ele lutou com todo mundo. Ele lutou com os melhores do mundo, apesar do que tem feito consigo mesmo fora do octógono, passando por batalhas com drogas e álcool. Mesmo com todas as coisas que aconteceram com Jon Jones, ele ainda é o campeão do mundo. Não sei mais o que dizer sobre isso", finalizou.

Com a negociação para atuar no peso-pesado frustrada, existe a expectativa que Jon Jones defenda o cinturão dos meio-pesados ainda este ano. Quem aparece como favorito a desafiá-lo é Jan Blachowicz. O americano não atua desde fevereiro deste ano, quando derrotou Dominick Reyes por decisão dos jurados.

MMA