PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Mike Tyson diz que fumou veneno de sapo e sentiu 'como se tivesse morrido'

A lenda do boxe Mike Tyson - Joe Scarnici/Getty Images for Triller
A lenda do boxe Mike Tyson Imagem: Joe Scarnici/Getty Images for Triller

Colaboração para o UOL, em São Paulo

17/11/2021 12h06

A lenda norte-americana do boxe Mike Tyson revelou que fumar o veneno que vem do sapo mudou a sua vida para melhor e que, desde que iniciou o novo hábito, passou a ver o mundo "de forma diferente".

"Eu 'morri' durante minha primeira viagem. Mas, nas minhas viagens, tenho visto que a morte é bela. A vida e a morte precisam ser belas, mas a morte tem uma má reputação. O sapo me ensinou que não vou ficar aqui para sempre. Há uma data de validade", disse Tyson durante participação em "The Post at Wonderland", uma conferência em Miami dedicada a psicodélicos, microdoses e medicina.

Tyson descobriu o veneno de sapo há quatro anos. Na época, ele estava 45 quilos acima do peso, costumava beber, usar drogas e estava infeliz. Um de seus amigos então sugeriu que ele experimentasse veneno de sapo, e o boxeador gostou da experiência.

"Fiz isso como um desafio. Eu estava usando drogas pesadas como cocaína, e então pensei: 'Por que não? É outra dimensão'. Antes de experimentar o veneno de sapo eu estava um 'caco'. O adversário mais difícil que já enfrentei fui eu mesmo. Eu tinha baixa autoestima", lembrou Tyson.

O "sapo" é o 'Bufo alvarius', um anfíbio mexicano. Ele passa sete meses por ano vivendo no subsolo, mas quando está ativo, o anfíbio secreta substâncias com propriedades psicoativas que são estudadas pelos cientistas. O veneno é usado há muito tempo em rituais. Apesar disso, é importante ressaltar que se trata de uma substância ainda sob estudos, e não deve ser usada de forma indiscriminada.

O boxeador já fez uso da substância 53 vezes — às vezes três vezes no mesmo dia. Segundo Tyson, graças ao veneno de sapo ele voltou a lutar boxe novamente e se reconectou com sua esposa e seus filhos. "Isso me tornou mais criativo e me ajudou a me concentrar. Estou mais presente como empresário e empreendedor", disse.

Já presente no ramo da cannabis, Mike espera poder comercializar em breve os psicodélicos. "Estou lutando para que os psicodélicos se tornem remédios que você possa comprar sem receita. Eu não terminei, quero fazer mais."

MMA