PUBLICIDADE
Topo

UOL Esporte vê TV

'Se eu sou o Diniz, converso mais com o Muricy', diz Galvão

Muricy Ramalho e Fernando Diniz se encontram no São Paulo - Divulgação/São Paulo
Muricy Ramalho e Fernando Diniz se encontram no São Paulo Imagem: Divulgação/São Paulo

Colaboração para o UOL, em São Paulo

21/01/2021 14h08

Depois de o São Paulo ser goleado pelo Inter por 5 a 1, ontem, no Morumbi, e perder a liderança do Campeonato Brasileiro para o time colorado, Galvão Bueno sugeriu que Fernando Diniz, técnico do time paulista, converse mais com Muricy Ramalho, coordenador técnico do clube.

O narrador recordou que Muricy viveu situação semelhante à do São Paulo em 2009, quando era o treinador do Palmeiras. Naquele ano, o time alviverde liderou o Campeonato Brasileiro por várias rodadas, mas no fim da competição não conseguiu nem uma vaga para a Copa Libertadores da América.

"Se eu sou o Diniz, eu ia procurar conversar mais com o Muricy. O Muricy viveu uma situação parecida em 2009 no Palmeiras. Ele viu a gordura que ele tinha derreter a ponto de o time ficar sem vaga na Libertadores. Deve doer nele ainda, mas deve ter ensinado muito. Ele não vai se meter no trabalho do Diniz", disse Galvão Bueno em participação no Seleção SporTV, hoje.

Alternativas para recuperar as vitórias

Na opinião de Galvão Bueno, o São Paulo não precisa de uma mudança de conceito de futebol, mas precisa apresentar mais alternativas para voltar a vencer. Para o narrador, o time tricolor atua sempre da mesma forma, que já foi compreendida pelos adversários.

"Não tem que mudar o conceito de futebol, mas tem que ter outras alternativas. Porque o São Paulo joga sempre da mesma forma, os adversários aprenderam a jogar contra o São Paulo e o time está tomando um gol atrás do outro dessa maneira", opinou.

"Eu não digo para mudar o jeito de jogar porque esse é o jeito de pensar futebol do Diniz, mas os erros são muito parecidos. E os jogadores erram porque têm pouco tempo para jogar, a pressão pela fase ruim, outros erros. Tudo isso faz o goleiro tocar errado, o zagueiro errar. Tudo isso faz parte", finalizou o narrador.

UOL Esporte vê TV