PUBLICIDADE
Topo

UOL Esporte vê TV

Fifa recorre e tenta fazer Globo pagar parcela de contrato da Copa do Mundo

Galvão Bueno na cabine de transmissão do Mineirão na semifinal da Copa do Mundo em 2014 - Memória Globo: João Miguel Júnior/Globo
Galvão Bueno na cabine de transmissão do Mineirão na semifinal da Copa do Mundo em 2014 Imagem: Memória Globo: João Miguel Júnior/Globo

Gabriel Vaquer

Colaboração para o UOL, em Aracaju

12/08/2020 16h00

A Fifa recorreu da decisão da Justiça do Rio de Janeiro que suspendia o pagamento da Globo pelo contrato de direitos de transmissão de torneios da entidade, válido entre 2015 e 2022. O documento contempla a exibição da Copa do Mundo de 2022, entre outros eventos -a emissora carioca alega necessidades econômicas de se renegociar contratos em função da pandemia (leia mais abaixo).

O valor suspenso correspondia à parcela anual desse contrato, de US$ 90 milhões (R$ 493 milhões, no câmbio atual) e deveria ser pago no último dia 30 de junho. O caso será julgado na segunda instância pela 14ª Câmara Cível do Rio de Janeiro.

Segundo apurou o UOL Esporte, a entidade máxima do futebol ainda tentou um efeito suspensivo para obrigar a Globo a cumprir o pagamento previsto em contrato enquanto a decisão do recurso em segunda instância não era julgada. Tal pedido foi negado, e o mérito agora será decidido pelo desembargador Plínio Pinto Coelho Filho. Não existe prazo para sua decisão.

Por que Globo quer renegociar contrato

No processo, a Globo alega que a pandemia do coronavírus fez todos os grupos de mídia passarem por dificuldades financeiras. Além disso, a empresa alega que competições da Fifa que estavam previstas para este ano foram canceladas e que isso causou prejuízo.

Assim, a emissora alega que o valor ficou impagável. A Globo alega ser uma boa parceria para a entidade e pagou em dia as cinco parcelas de contrato previstas desde 2015.

Foi com essa interpretação que a Globo conseguiu uma liminar na 6ª Vara Empresarial da Justiça do Estado do Rio de Janeiro em primeira instância para não pagar o valor previsto. Vale ressaltar que a Corte Arbitral da Suiça, onde fica a sede da Fifa, ainda irá falar sobre a questão em juízo a pedido das duas empresas.

O que a Fifa pondera

A Fifa, por sua vez, diz que deseja o cumprimento do contrato. A entidade alega também que foi pega de surpresa com o pedido de suspensão feito pela Globo e que esperava resolver tudo em negociações.

Entre os eventos previstos para este ano, estavam a Copa do Mundo de Futsal e as Copas do Mundo Feminina Sub-17 e Sub-20, todos adiados para 2021. O torneio olímpico de futebol que seria realizado nas Olimpíadas de Tóquio também é organizado pela Fifa, mas o contrato não contempla a sua exibição.

Além da disputa com a Fifa pelos direitos da Copa do Mundo, a Globo também rescindiu acordo com a Conmebol pelos direitos de transmissão da Libertadores da América, também por conta das dificuldades financeiras causadas pela pandemia do novo coronavírus.

UOL Esporte vê TV