PUBLICIDADE
Topo

MMA


Lutador que esteve com Bolsonaro em ato critica isolamento: 'Não ajuda'

Jair Bolsonaro simula encarada com o lutador Paulo Borrachinha - @jairbolsonaro/Twitter
Jair Bolsonaro simula encarada com o lutador Paulo Borrachinha Imagem: @jairbolsonaro/Twitter

Do UOL, em São Paulo

26/03/2020 17h17

O lutador de MMA Paulo Borrachinha divulgou um vídeo na tarde de hoje pedindo que a população saia de casa e volte a trabalhar normalmente. Ele afirmou que quem está saudável e cumprindo isolamento "não ajuda em nada" no combate ao coronavírus.

"Você que é saudável e está em casa, saiba que você não está ajudando em nada. Devemos cuidar dos nossos doentes, fracos e idosos. Mas se nós, que podemos e somos saudáveis, não formos lutar, trabalhar, ninguém vai. O resultado vai ser pior tanto para as pessoas que amamos quanto para quem infelizmente não tem nada a ver, crianças em situação de miséria", disse Borrachinha em sua conta do Instagram.

Lute por você, lute por quem vc ama, mas não deixe de lutar, nunca.

Uma publicação compartilhada por Paulo Costa (@borrachinhamma) em

O lutador acompanhou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nas manifestações pró-governo do dia 15 de março. Borrachinha, inclusive, estava ao lado de Bolsonaro enquanto este cumprimentava apoiadores, apertava mãos e tirava selfies em frente ao Palácio do Planalto.

O presidente interrompeu o isolamento, que cumpria após ter retornado de viagem dos Estados Unidos, mesmo seu primeiro teste para detectar o coronavírus ter dado negativo. Bolsonaro chegou a aconselhar, um dia antes, em live feita no Facebook, que fossem adiadas as manifestações por questões de saúde.

Bolsonaro fura isolamento para cumprimentar apoiadores - Dida Sampaio/Estadão Conteúdo
Bolsonaro fura isolamento para cumprimentar apoiadores
Imagem: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

Em pronunciamento nesta terça-feira, o presidente voltou a chamar a covid-19 de "gripezinha" e defendeu que a rotina no país deve retornar à realidade para não criar efeitos negativos na economia. Ele também acusou a imprensa brasileira de espalhar o pânico em torno do coronavírus. Ontem, ele escreveu no Twitter que "não tem como desassociar emprego de saúde".

Os pedidos para que o isolamento não seja cumprido contrariam orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e determinações dos governos estaduais.

MMA