PUBLICIDADE
Topo

Olimpíadas, dia 12: Brasil fatura ouro e fica a uma medalha de recorde

Jonne Roriz/COB
Imagem: Jonne Roriz/COB

Colaboração para o UOL, em São Paulo

04/08/2021 09h48

O Brasil ficou muito perto nesta quarta-feira (4) de igualar ou até superar seu recorde de medalhas em uma única edição dos Jogos Olímpicos.

O país fechou o 12º dia de disputas em Tóquio com um ouro conquistado, com a nadadora Ana Marcela Cunha na maratona aquática, e já garantiu 18 pódios no total no Japão. Há cinco anos, no Rio de Janeiro, o Time Brasil faturou 19 láureas.

Tudo leva a crer que o recorde será quebrado nos próximos dias, já que o país tem boas chances no skate, canoagem e no vôlei feminino, que conseguiu uma classificação heroica para as semifinais após uma difícil vitória contra a Rússia.

Confira o que aconteceu de melhor no 12º dia dos Jogos Olímpicos de Tóquio.

ana marcela resumao - Jonne Roriz/Jonne Roriz/COB - Jonne Roriz/Jonne Roriz/COB
Imagem: Jonne Roriz/Jonne Roriz/COB

Maratona aquática: ouro para Ana Marcela

A baiana Ana Marcela Cunha brilhou na prova dos 10km realizada nesta quarta-feira e se tornou a primeira mulher brasileira a ganhar um ouro em prova de natação nas Olimpíadas. A atleta de 29 anos terminou a prova nas águas do Odaiba Marine Park com o tempo de 1h59min30s8. A prata ficou com a holandesa Sharon Van Rouwendaal (1h59min31s7), campeã olímpica na Rio-2016, enquanto a australiana Kareena Lee levou o bronze, com 1h59min32s5.

A medalha de Ana Marcela vem após um drama nos Jogos do Rio, onde terminou em décimo lugar depois de ter seu suplemento derrubado na água. Em sua outra participação em Olimpíadas, ela terminou no quinto lugar, em Pequim-2008.

"Finalmente chegou. Por mais nova que fui em 2008, na minha primeira Olimpíada, querendo ou não é o meu quarto ciclo olímpico, vindo de uma não classificação (em Londres-2012), uma frustração no Rio e um amadurecimento muito grande para chegar até aqui. O que posso dizer é 'acreditem nos seus sonhos e deem tudo de si'", afirmou a baiana após a prova.

vôlei feminino, Brasil - Julio César Guimarães/COB - Julio César Guimarães/COB
Imagem: Julio César Guimarães/COB

Vôlei: Brasil bate a Rússia e vai à semifinal

Em um jogo tenso, difícil e repleto de altos e baixos, o Brasil venceu a Rússia de virada nas quartas de final do vôlei feminino na manhã desta quarta-feira (4) nos Jogos Olímpicos de Tóquio. A seleção treinada por José Roberto Guimarães ganhou por 3 sets a 1, com parciais de 23/25, 25/21, 25/19 e 25/22, e está na semifinal do torneio.

Além de perder o primeiro set, o Brasil iniciou o segundo sem mostrar um bom jogo, e chegou a ficar atrás no placar por 15 a 9. A equipe começou a dar a volta por cima e iniciar a virada com as entradas da levantadora Macris e da oposta Rosamaria nos lugares de Roberta e Tandara, respectivamente. Depois das substituições, a seleção se encontrou em quadra e conseguiu a vitória.

O Brasil enfrentará a Coreia do Sul na semifinal na sexta-feira (6). As asiáticas derrotaram a Turquia nas quartas de final por 3 a 2. A outra semi será entre Sérvia e Estados Unidos.

Rebeca Andrade - Ricardo Bufolin/CBG - Ricardo Bufolin/CBG
Imagem: Ricardo Bufolin/CBG

Rebeca Andrade será porta-bandeira no encerramento

Rebeca Andrade foi eleita nesta quarta-feira pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB) para ser a porta-bandeira do país no desfile das delegações na cerimônia de encerramento dos Jogos Olímpicos de Tóquio, no domingo (8), a partir das 8h (horário de Brasília).

A escolha de Rebeca era esperada, pelo excelente desempenho da atleta no Japão. Ela foi a única de toda a delegação brasileira a conquistar duas medalhas, com o ouro no salto e a prata no individual geral na ginástica artística.

alison - Sean M. Haffey/Getty Images - Sean M. Haffey/Getty Images
Imagem: Sean M. Haffey/Getty Images

Vôlei de praia: pela primeira vez, sem medalha

Nada deu certo para o vôlei de praia brasileiro em Tóquio. Numa jornada de eliminações, homens e mulheres voltam para casa sem nenhuma medalha no peito. Nesta quarta, a dupla de Alison e Álvaro filho foi derrotada por Plavins e Tocs, da Letônia, e deu adeus à competição nas quartas de final. Em uma partida que acabou com parciais de 21/16 e 21/19, capixaba e paraibano não conseguiram jogar bem, cometeram muitos erros e foram superados.

É a primeira vez que o Brasil não sobe ao pódio do vôlei de praia em uma edição dos Jogos Olímpicos.

skate resumão -  Ezra Shaw/Getty Images -  Ezra Shaw/Getty Images
Imagem: Ezra Shaw/Getty Images

Skate park: sem pódio para o Brasil

As brasileiras Dora Varella e Yndiara Asp ficaram em sétimo e oitavo, respectivamente, na final do skate park. Elas se classificaram nas últimas posições e não conseguiram surpreender na decisão. Quem mandou muito bem foram as japonesas, que brilharam intensamente e conseguiram as duas primeiras posições.

O ouro ficou com Sakura Yosozumi, que tirou 60,09 logo em sua primeira volta. A dona da prata é Kokona Hiraki, de apenas 12 anos, e que tirou 59,04. O bronze estava com a compatriota Misugu Okamoto até a última volta, mas a britânica Sky Brown acertou grandes manobras, tirou 56,47 e ficou em terceiro, superando os 53,58 da japonesa, que terminou em quarto.

Ingrid Oliveira - Marko Djurica/Reuters - Marko Djurica/Reuters
Imagem: Marko Djurica/Reuters

Saltos ornamentais: Ingrid erra na plataforma de 10m

Ingrid Oliveira fez sua estreia em Tóquio na plataforma de 10m. A brasileira chegou a ficar no sétimo lugar, mas deixou escapar a vaga e deu adeus às Olimpíadas na 24ª colocação da fase de classificação para às semifinais - era preciso ficar entre as 18 primeiras para avançar.

As falhas vieram no quarto e no quinto saltos, que renderam à brasileira 47,00 e 26,60 pontos, respectivamente. Ela completou a série de cinco saltos com 261,20 pontos e caiu do sétimo posto para o 24º nessa reta final da competição.

Yuri Mansur - Gaspar Nóbrega/COB - Gaspar Nóbrega/COB
Imagem: Gaspar Nóbrega/COB

Hipismo: Yuri Mansur fica em 20º na final do salto

Único representante do Brasil na final da competição de saltos do hipismo nos Jogos Olímpicos de Tóquio, Yuri Mansur terminou a disputa válida por medalha na 20ª posição, na manhã desta quarta-feira (4).

Yuri e a montaria Alfons não conseguiram zerar o percurso e derrubaram dois obstáculos, o que acarretou em uma penalização de oito pontos. Eles concluíram a apresentação com o tempo de 87s27.

A medalha de ouro foi conquistada pelo britânico Ben Maher, que montou Explosion W.

Atletismo: brasileiros eliminados nas barreiras

O Brasil não terá representantes na final dos 110m com barreiras. Gabriel Constantino e Rafael Pereira disputaram as semifinais, mas não avançaram. Na primeira bateria da semifinal, Gabriel terminou na oitava e última posição, com 13s89. Já na terceira semifinal, Rafael foi o sexto, com 13s62. Os dois primeiros de cada bateria e os dois melhores tempos restantes avançaram à final.

Vela: 470 termina em nono

Fernanda Oliveira e Ana Barbachan ainda tinham uma pequena chance de conquistar o bronze quando começou a medal race, a regata final da classe 470, na baía de Enoshima. As brasileiras, no entanto, concluíram a regata na décima colocação e terminaram em nono na classificação geral.

O ouro ficou com a dupla britânica Hannah Mils e Eilidh McIntyre, agora bicampeã olímpica na classe. As polonesas Agnieszka Skrzypulec e Jolanta Ogar ficaram em segundo, e o bronze foi conquistado pela dupla francesa Camille Lecointre e Aloise Retornaz.