PUBLICIDADE
Topo

Ana Marcela dispara no fim e ganha a medalha de ouro na maratona aquática

Adriano Wilkson

Do UOL, em Tóquio

03/08/2021 20h30

O Brasil é ouro na maratona aquática feminina. A baiana Ana Marcela Cunha brilhou na prova dos 10 km realizada na manhã desta quarta-feira (4) no Japão (terça-feira à noite no Brasil) e se tornou a primeira mulher brasileira a ganhar um ouro em prova de natação nas Olimpíadas.

A atleta de 29 anos terminou a prova nas águas do Odaiba Marine Park com o tempo de 1h59min30s8. A prata ficou com a holandesa Sharon Van Rouwendaal (1h59min31s7), campeã olímpica no Rio-2016, enquanto a australiana Kareena Lee levou o bronze, com 1h59min32s5.

O ouro é inédito para o Brasil na prova. Nas Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016, Poliana Okimoto conquistou a primeira medalha brasileira da maratona aquática. Em Tóquio, esta é o terceiro pódio da natação brasileira, após os bronzes de Fernando Scheffer e Bruno Fratus na piscina.

A medalha de ouro de Ana Marcela, aliás, vem após um verdadeiro drama nos Jogos do Rio, onde terminou em décimo lugar depois de ter seu suplemento derrubado na água. Em sua outra participação em Olimpíadas, ela terminou no quinto lugar em Pequim, em 2008.

"Finalmente chegou. Por mais nova que fui em 2008 na minha primeira Olimpíada, querendo ou não é o meu quarto ciclo olímpico, vindo de uma não classificação (em Londres-2012), uma frustração no Rio e um amadurecimento muito grande para chegar até aqui. O que posso dizer é 'acreditem nos seus sonhos e deem tudo de si'", afirmou a campeã olímpica após a prova.

Eleita seis vezes a melhor atleta do mundo nas maratonas aquáticas, a baiana de Salvador fez sua estreia em provas marítimas aos 12 anos, e aos 14 já fazia parte da seleção brasileira. O ouro em Tóquio consagra a atleta que já era tetracampeã mundial (2011, 2015, 2017 e 2019) nos 25 km, campeã mundial (2019) nos 5 km e ouro nos Jogos Pan-americanos Lima 2019.

Esta é a 18ª medalha do Brasil nos Jogos de Tóquio, sendo a quarta de ouro. Antes de Ana Marcela, Ítalo Ferreira, no surfe, Rebeca Andrade, na ginástica, e Martine Grael e Kahena Kunze, na vela, já haviam subido no lugar mais alto do pódio no Japão.

Com a água em torno de 30º C, a prova começou já com Ana Marcela no pelotão de frente, e de lá ela não saiu mais. A nadadora brasileira manteve sua estratégia durante todo percurso e conseguiu uma bela arrancada no final, deixando as principais concorrentes para trás.

A americana Ashley Twichell dominou quase toda prova, mas caiu no último quilômetro e ficou fora do pódio, com o sétimo lugar da classificação. Ana Marcela, por sua vez, esteve entre as três primeiras durante a maior parte do trajeto, e disparou no fim para a medalha histórica.