PUBLICIDADE
Topo

Matheus Cunha desfalca último treino, e Brasil pode ter Malcom ou Paulinho

Malcom e Paulinho disputam bola durante treino da seleção brasileira olímpica em Tóquio - Lucas Figueiredo/CBF
Malcom e Paulinho disputam bola durante treino da seleção brasileira olímpica em Tóquio Imagem: Lucas Figueiredo/CBF

Do UOL, em São Paulo

02/08/2021 08h21

Substituído aos oito minutos do segundo tempo da partida do último sábado contra o Egito, o atacante Matheus Cunha é dúvida da seleção brasileira para amanhã (3), às 5h, contra o México, pela semifinal do futebol masculino nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Autor de dois gols na competição, o jogador foi desfalque no último treino de preparação antes do jogo decisivo, no Nakata Sports Center.

Os principais candidatos à vaga caso Matheus Cunha se torne realmente desfalque são Malcom e Paulinho. Entre os três atacantes disponíveis no banco de reservas, só Gabriel Martinelli tem tido menos espaço até agora. A escalação de jogadores que executam funções muito diferentes, a exemplo de Reinier, é uma possibilidade mais remota.

Malcom entrou em todos os quatro jogos até aqui e já soma 136 minutos em campo nas Olimpíadas. Já Paulinho disputou um jogo a menos — nem sequer foi relacionado contra a Arábia Saudita — e tem 81 minutos jogados, mas conta com outros dois pontos a seu favor: é o único além de Richarlison e Matheus Cunha a ter feito gol no torneio e foi o substituto do atacante lesionado contra o Egito.

Uma escalação provável para terça-feira é a seguinte: Santos; Daniel Alves, Nino, Diego Carlos e Guilherme Arana; Douglas Luiz, Bruno Guimarães e Claudinho; Antony, Paulinho (Malcom ou Matheus Cunha) e Richarlison. O técnico André Jardine vai divulgar o time inicial pouco antes da partida, no Estádio Kashima.

Jardine - Buda Mendes/Getty Images - Buda Mendes/Getty Images
Jardine só saberá o time à disposição momentos antes do jogo contra o México
Imagem: Buda Mendes/Getty Images

Matheus Cunha foi substituído contra o Egito por causa de dores na coxa esquerda. Ele teve diagnosticada uma contratura muscular na parte posterior e iniciou tratamento já durante o segundo tempo do jogo, o que se intensificou nos últimos dias. O médico da seleção brasileira Marco Azizi disse ao "GE" que será feito um exame horas antes do jogo, mas que o pouco tempo de recuperação é preocupante.

Autor de dois gols e uma assistência em oito gols marcados pela seleção olímpica, Matheus Cunha está com o grupo desde o início do ciclo com o técnico André Jardine e sua lesão é um abalo nos bastidores. O treino de hoje teve apenas 15 minutos abertos para imagens, o restante foi às escondidas para fazer mistério sobre os testes e alternativas de jogo.

O Brasil decide a vaga na final contra o México às 5h. Caso vença, enfrenta na disputa pelo ouro Espanha ou Japão no domingo. Se perder, ainda tem a esperança do bronze contra o derrotado deste outro confronto, na sexta-feira.