PUBLICIDADE
Topo

Douglas cativa novos e velhos fãs de vôlei e ganha homenagem nas redes

Douglas Souza, jogador da seleção brasileira de vôlei e sucesso nas redes sociais - Reprodução/Instagram
Douglas Souza, jogador da seleção brasileira de vôlei e sucesso nas redes sociais Imagem: Reprodução/Instagram

Adriana Del Ré

Colaboração para o UOL, em São Paulo

30/07/2021 12h00

Douglas Souza chegou a Tóquio já com uma medalha de ouro olímpica no peito, conquistada na Rio-2016, mas só agora foi descoberto pelo grande público. Sucesso nas redes sociais, o ponteiro da seleção brasileira de vôlei conquistou milhões de novos seguidores, virou ídolo de quem já gostava de vôlei e ganhou vários fãs-clubes.

Os vídeos irreverentes que ele fez na Vila Olímpica, com cenas de bastidores, viralizaram antes mesmo de as Olimpíadas começarem. Douglas passou de cerca de 200 mil para quase 3 milhões de seguidos no Instagram.

Uma dessas novas seguidoras é a maquiadora Juliana Zaroni, de 45 anos, que mora em São Paulo. Ela conta que caiu num story em que o jogador aparece saindo da quadra desfilando. "Falei: 'gente, quem é esse menino?'. Fui procurar saber quem era. Eu me apaixonei por ele, até comentei com outros amigos. Eu me tornei fã imediatamente", garante ela.

"Não sou uma pessoa dos esportes, não é uma coisa que me mobiliza. Olimpíadas, eu curto, vejo nos noticiários, mas não sou apaixonada. Gostei do Douglas enquanto pessoa mesmo", completa.

Para Juliana, o jogador chama atenção pelo jeito brincalhão, irreverente e bem-humorado, e o fato dele ser um dos poucos atletas de elite que se assumiram gay publicamente.

"Acho incrível ele se assumir publicamente enquanto atleta, porque estamos vivendo num momento de muitos ataques à população LGBT, então você vê uma pessoa bem-sucedida no que faz num ambiente que é muito heteronormativo", afirma a maquiadora.

O assistente administrativo Célio Mota de Oliveira Junior, de 31, que vive em Manaus, também descobriu Douglas após seu boom nas redes sociais. Ele viu o jogador pela primeira vez no vídeo em que ele aparece testando a cama de papelão na Vila Olímpica. Célio se divertiu e logo passou a segui-lo no Instagram.

"Eu me identifico bastante, porque ele é bem engraçado e mostra um pouco do que está acontecendo lá, de uma forma bem extrovertida", observa. "Num story, ele mostrou o lado da escrivaninha dele, que estava todo bagunçado, e o lado do colega dele de quarto, que estava bem arrumado. Foi bem engraçado."

Célio e os amigos combinaram de assistir juntos aos jogos da seleção de vôlei. E ele passou a seguir também uma página dedicada ao jogador no Instagram, criada pelo amigo, o estudante de engenharia Luiz Henrique Rêgo, de 29, morador de Curitiba. Foi Luiz, aliás, que compartilhou com Célio o vídeo da sambadinha de Douglas em cima da cama.

Fã-clubes

Luiz gosta de vôlei e acompanha Douglas desde 2016, quando foi campeão olímpico no Brasil. Ali o jogador já havia chamado sua atenção. Depois, o estudante passou a seguir o jogador nas redes e acompanhar os conteúdos que ele postava no Instagram, no Tiktok e em seu canal no YouTube.

"Fui virando fã com o tempo. Comecei a assistir ao canal dele e vi que o Douglas é um dos nossos, fala o que pensa, tem as causas sociais dele também", conta. "Ele dá uma visibilidade maior à comunidade LGBTQIA+ nos esportes, não tem medo. É muito autêntico no que faz, esse é o jeito dele."

Essa repercussão toda em torno de Douglas inspirou Luiz a criar, na semana passada, uma página em homenagem ao jogador no Instagram, a Douglas Souza Fc (@douglas.souzafc). "Estou divulgando mais o trabalho dele, os melhores momentos dele lá em Tóquio, nos Jogos."

Assim como a página criada pelo estudante, outros perfis dedicados a Douglas surgiram na rede social nos últimos dias e são seguidos pelo próprio jogador de vôlei, como é o caso do perfil Douglas Souza (@mypriide_douglasouza).

"É um sentimento inexplicável ver que o Douglas olha tudo que eu posto com tanto carinho para ele", comemora o autônomo Eduardo Diniz dos Santos, de 19, criador da página e que mora em São Paulo. Fanático por vôlei, Eduardo conheceu o jogador em ação há 2 anos, quando ele atuava na equipe do Taubaté.

"Nunca tive a oportunidade de ir a um jogo dele, porém, como torcedor e fã, tenho certeza de que um dia consigo realizar esse meu sonho, de ver ele jogando de pertinho", afirma. Agora, Eduardo sonha também em conversar com o jogador após a homenagem que fez a ele. "Como um fã dele, pensei em várias formas de demonstrar o quão grande é o carinho que tenho por ele, então logo pensei em criar uma página de fã, e nela tenho conseguido demonstrar todo o carinho que eu e o povo brasileiro temos por ele."