PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Favorito azarão? Conheça o brasileiro que pode surpreender Aldo no UFC

Renato Moicano após vencer no UFC 227 - Diego Ribas/Ag. Fight
Renato Moicano após vencer no UFC 227
Imagem: Diego Ribas/Ag. Fight

Gustavo Setti

Do UOL, em São Paulo

02/02/2019 04h00

Os holofotes do UFC Fortaleza, que ocorre neste sábado (2), estão voltados para José Aldo. O ex-campeão dos penas entra no octógono depois de seis meses desde a última luta, quando nocauteou Jeremy Stephens, e terá pela frente outro brasileiro: Renato Moicano. Porém, engana-se quem pensa que o manauara é o favorito para o duelo.

Pelo menos nos sites de apostas, o favoritismo é de Moicano, e o desempenho recente do lutador natural de Brasília justifica a expectativa. Não será nenhuma surpresa se o atleta de 29 anos levar a melhor contra Aldo.

"Um amigo meu me falou que ele ia apostar em mim, mas que nas bancas de apostas não compensava. Tem um sistema de aposta do motivo de eu ser o favorito, não sei como analisar, não sei se eu deveria ser, é legal, bacana, mas o que importa é no dia da luta", disse ao UOL Esporte.

Moicano é o quinto colocado no ranking dos penas (Aldo ocupa a 2ª posição) e soma cinco vitórias e uma derrota no UFC. Desde a estreia no fim de 2014, ele foge do perfil de alguns dos badalados nomes do Ultimate, famosos pelo desempenho dentro do octógono e pelas provocações como Conor McGregor e Jon Jones, e não gosta de ofender seus adversários.

"Eu procuro não me atentar a essa questão de provocação. Esse negócio de xingar não ajuda em nada. O que vale é a luta, não adianta chegar lá, falar um monte de besteira e perder. Eu sempre gosto da minha postura de lutador, respeitando sempre quem deve ser respeitado, e o José Aldo é uma lenda, tem história, tem que respeitar, mas agora é a minha vez", afirmou.

"O Aldo está no top 5 dos brasileiros de todos os tempos, é um dos melhores, e essa luta só veio mostrar que a gente está chegando muito forte. Uma hora vamos disputar um cinturão", acrescentou.

Desde sua estreia no Ultimate, Moicano vem subindo degraus na categoria e espera receber uma chance pelo cinturão em caso de vitória neste sábado. A tão sonhada luta pelo título da categoria, entretanto, ficou perto de acontecer no ano passado. 

Ele estava escalado como reserva para a luta principal do UFC 231, evento realizado no começo de dezembro em Toronto (CAN). No entanto, o campeão Max Holloway e Brian Ortega bateram o peso correto para uma disputa de título dos pesos-penas, enquanto o brasileiro ficou acima do limite exigido. Ele não teve problemas com a organização e nem iria mais lutar depois que os dois lutadores bateram os pesos, mas a expectativa era grande antes da pesagem já que Holloway enfrentou dificuldades com a balança em lutas anteriores.

"Minha luta caiu, eu não sabia se ia lutar, talvez eu não tenha me atentado tanto à dieta. Nem fiquei chateado, voltei para o Brasil para tirar férias, comemorar o fim de ano, mas, logo que cheguei, fui obrigado a voltar", contou.

O motivo de ter as férias interrompidas foi justamente a luta contra Aldo, fechada poucos dias depois do UFC 231. "Pensei em ir para a Bahia de férias, mas, no dia que cheguei no Brasil, o meu empresário me ligou, aí esperei fechar a luta, depois de quatro, cinco dias a luta foi fechada e já voltei para os Estados Unidos para treinar. Fiquei uma semana no Brasil. Bati e voltei", explicou. Agora, Moicano só depende dele para ficar mais perto do sonho do cinturão.

MMA