PUBLICIDADE
Topo

Botafogo

Derrota expõe urgência por reforços e melhorias na estrutura do Botafogo

Matheus Nascimento, do Botafogo, lamenta chance perdida contra o América-MG, pela Copa do Brasil - Fernando Moreno/AGIF
Matheus Nascimento, do Botafogo, lamenta chance perdida contra o América-MG, pela Copa do Brasil Imagem: Fernando Moreno/AGIF

Colaboração para o UOL, em São Paulo

01/07/2022 04h00

Classificação e Jogos

De uma só vez, o técnico Luis Castro voltou a bater em dois pontos que considera importantes para que o Botafogo tenha uma boa temporada: a chegada de reforços e uma estrutura melhor. Sem ter oito atletas à disposição, o Glorioso perdeu por 3 a 0 para o América-MG na partida de ida das oitavas da Copa do Brasil, ontem (30), na Arena Independência.

O pedido por contratações é algo recorrente para o treinador. Tanto que John Textor, maior acionista da SAF do clube, já prometeu que na próxima janela, que abre no dia 18, podem chegar até seis atletas, sendo um deles um nome de grande impacto no mercado.

Desde que virou SAF, o Glorioso já vem se reforçando. Mas, por causa de lesões não pode contar com Lucas Piazon, Gustavo Sauer e Victor Sá na noite de ontem. Cuesta e Oyama já defenderam outros times na Copa do Brasil e, por isso, estão impedidos de atuar pelo Fogão. Além dos cinco, Erison, contratado no começo do ano (antes da SAF), Carlinhos e Rafael completaram a lista de oito desfalques do time em Belo Horizonte.

O número de desfalques também é alvo de reclamação para Castro. Mais recentemente, ele expôs sua insatisfação com a estrutura do Alvinegro, fazendo várias críticas e apontando que o cenário está longe do que é adequado.

Para agravar a situação, Diego Gonçalves, que voltava de lesão na coxa no duelo contra o Coelho, ficou apenas 18 minutos em campo (entrou aos 21' e saiu aos 39' da etapa final) após sentir dores no mesmo local. O técnico sabe que não adianta chegar novos jogadores ao plantel se eles passarem mais tempo no departamento médico do que em campo. Tanto que, ao comentar os problemas que teve diante do América-MG, disse que entrou em campo com um time 'de Série B'.

"Acho que todos nós estamos de acordo que precisamos de reforços, nem que seja se reforçar com os atletas que estão fora, por lesão. Jogamos com a equipe do ano passado, da Série B, com o Sampaio e o Patrick de Paula. Portanto, 90% é do ano passado. Claro que, em uma Série A, necessitamos de reforços para competir melhor, ter mais qualidade. Muitos dos que estão fora precisam regressar. Nós somos fortes quando estamos todos juntos, mas diminuímos nossa capacidade quando falta algum de nós", declarou.

Enquanto aguarda o dia 18 — para a abertura da janela de transferências — Castro ainda terá quatro jogos pela frente, incluindo a volta contra o América-MG, no Nilton Santos, no dia 14, às 21h.

Com a dura missão de reverter três gols de desvantagem na Copa do Brasil, o treinador deve voltar as atenções para o Brasileiro, onde tem compromisso já nesta segunda (4), às 20h., quando o Bota vai até o interior paulista encarar o Red Bull Bragantino, pela 15ª rodada.

Botafogo