PUBLICIDADE
Topo

Libertadores - 2022

Athletico bate Libertad em jogo acirrado e abre vantagem na Libertadores

Vitor Roque comemora gol pelo Athletico contra o Libertad, pela Libertadores - Robson Mafra/AGIF
Vitor Roque comemora gol pelo Athletico contra o Libertad, pela Libertadores Imagem: Robson Mafra/AGIF

Colaboração para o UOL, em São Paulo

28/06/2022 23h25

Classificação e Jogos

O Athletico bateu o Libertad-PAR por 2 a 1 na noite de hoje (28), na Arena da Baixada, pela partida de ida das oitavas da Copa Libertadores. Diferentemente do que aconteceu na fase de grupos, quando o Furacão venceu por 2 a 0, os visitantes não vieram retrancados, proporcionando um embate bem aberto, com chances para os dois lados.

Todos os gols aconteceram na primeira etapa, que foi a melhor. Logo aos 5', Vitor Roque aproveitou o toque de Terans e, da direita, bateu no alto, tirando Martin Silva da bola e anotando o centésimo do Rubro-Negro na história do torneio. Na falha de Pedrinho, Villalba apareceu sozinho para empatar a partida aos 19'. Em cobrança ensaiada, Cuello saiu carregando a bola aos 31' antes de cruzar. A bola viajou por toda defesa do Libertad antes de encontrar Nicolás Hernandéz, que desviou do jeito que deu para o gol.

O confronto de volta entre os clubes acontece na próxima terça (5), às 21h30, no Defensores Del Chaco. O Furacão avança em caso de nova vitória ou de um empate, enquanto o Alvinegro precisa ganhar por dois gols para se classificar.

Na fase de grupos, o Libertad ganhou em casa por 1 a 0. Caso a diferença de um gol se repita na próxima semana —independentemente do placar—, a decisão da vaga nas quartas acontecerá nos pênaltis.

Quem foi bem: Vitor Roque

Aos 17 anos, o atacante se tornou o atleta mais jovem a marcar um gol com a camisa do Athletico na Libertadores. Em noite inspirada, a revelação infernizou a defesa adversária, com seus dribles e sua velocidade. Também apareceu bem para concluir as jogadas.

Quem foi mal: Barboza sofre com a velocidade

O zagueiro do Libertad mostrou ser muito lento e incapaz de correr atrás dos atacantes do Athletico. Quase entregou o ouro duas vezes, quando pressionado na defesa, e ainda tomou um lindo chapéu de Terans.

Atuação do Athletico: Velocidade pelos lados

Os paranaenses apostaram demais nas laterais para arquitetar as jogadas ofensivas. Quando o rival não estava mais fechado, o Furacão apostava na ligação direta. O goleiro Bento tentou, diversas vezes, lançar direto para os pontas. Quando os paraguaios estavam bem postados, a troca rápida de passes era a saída.

Atuação do Libertad: Jogo franco

Diferentemente do que apresentou na fase de grupos, quando atuou bem recuado diante do Athletico na Arena da Baixada, o Libertad adotou uma postura mais agressiva. A equipe conseguiu encontrar os espaços na defesa do Furacão, principalmente pela esquerda.

Cronologia do jogo

O Libertad iniciou melhor, colocando a bola no chão para arquitetar as jogadas, mas o Furacão abriu o placar aos 5', em sua primeira chegada ao gol, com Vitor Roque. Os visitantes retomaram o controle do jogo e conseguiram o empate aos 19', na cabeçada de Villalba. O cenário continuou igual até aos 31', quando Nicolás Hernández recolocou os donos da casa na frente. Os paraguaios parecem ter sentido o golpe, fazendo com que o Rubro-Negro crescesse nos minutos finais da etapa inicial.

Depois da conversa nos vestiários, os visitantes adotaram uma postura menos agressiva nos primeiros 15 minutos. Barboza teve uma chance de cabeça aos 18', e Melgarejo soltou uma pancada que balançou o travessão no minuto seguinte. Em um erro na saída de bola, Terans teve a chance mais clara para ampliar com um chute da meia-lua, entretanto, Martín Silva fez uma grande defesa e espalmou. Na metade final do segundo tempo, o duelo caiu de ritmo.

Terans, Vitor Roque e Cuello ditam o ritmo

O trio do Furacão infernizou a defesa do Libertad. Rápidos e habilidosos, os jogadores tiveram facilidade para vencer a marcação e criar oportunidades para a equipe. O primeiro gol, de Vitor Roque, saiu pela direita após bela assistência de Terans. No segundo, Cuello carregou a bola até fazer o cruzamento que passou por toda defesa paraguaia antes de Hernández desviar para a rede com a perna.

Cuello ainda arriscou de longe e acertou o travessão aos 36' da primeira etapa. Aos 38', Terans aplicou um lindo chapéu em Barboza e cruzou para Vitor Roque cabecear para fora. Ele ainda teve outra chance com a cabeça aos 40', mas subiu mal e Terans tentou de bicicleta na sobra, quando o VAR indicou um possível toque na mão da zaga. Contudo, o pênalti não foi anotado pelo impedimento de Roque.

Pedrinho cochila

O gol do Libertad saiu em vacilo enorme do lateral do Furacão. Samudio levantou na área e Villalba apareceu sozinho na segunda trave para mandar de primeira para o fundo da rede. Pedrinho demorou para voltar e deixou o adversário sozinho e em condição legal para marcar o gol. Além disso, o defensor não fez uma boa exibição, pecando demais na marcação e sendo muito tímido no ataque.

Felipão precavido

A partida estava tranquila e com poucas faltas, porém o técnico do Athletico voltou para o segundo sem o volante Christian. Único a receber o amarelo antes do intervalo, o jogador deu lugar a Erick.

Próximos jogos

Antes da partida de volta, na próxima semana, os times entram em campo neste final de semana. Na última rodada do Apertura, o Libertad visita o Resistencia na sexta (1), às 20h15. No sábado (2), às 21h, o Furacão vai até o Allianz Parque encarar o Palmeiras na 15ª rodada do Brasileirão.

Covid-19 gera baixas nos dois times

O lateral esquerdo Abner ficou de fora da partida após ser diagnosticado com a doença e abriu espaço para Pedrinho, de apenas 19 anos. Do lado paraguaio, o técnico Daniel Garnero e o zagueiro Pablo Aguilar também foram baixas por causa do coronavírus.

FICHA TÉCNICA:

ATHLETICO-PR 2 x 1 LIBERTAD-PAR
Competição:
Copa Libertadores - jogo de ida das oitavas de final
Data: 28 de junho de 2022, terça-feira
Horário: 21h30 (de Brasília)
Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)
Árbitro: Alexis Herrera (VEN)
Assistentes: Carlos Lopez (VEN) e Lubin Torrealba (VEN)
VAR: Jhon Perdomo (COL)
Gols: Vitor Roque, aos 5'/1ºT (ATH); Villalba, aos 19'/1ºT (LIB); Nicolás Hernández, aos 31'/1ºT (ATH)
Cartões amarelos: Chirstian (ATH); Barboza, Campuzano (LIB).

ATHLÉTICO-PR: Bento; Khellven, Pedro Henrique, Nicolás Hernández e Pedrinho; Hugo Moura, Christian (Erick), e Terans (Vitor Bueno); Vitor Roque (Rômulo), Cuello (Matheus Babi) e Pedro Rocha (Canobbio). Técnico: Felipão.

LIBERTAD-PAR: Martín Silva; Villalba (Franco), Barboza, Diego Vieira e Samudio; Mayada (Iván Piris), Campuzano, Ramón Martínez (Mendieta), Diego Gómez (Merlini) e Diego Melgarejo; Roque Santa Cruz (Óscar Cardozo). Técnico: Andrés San Martín.