PUBLICIDADE
Topo

Vasco

Raniel alcança recorde pessoal e Souza vê briga acirrar no ataque do Vasco

Raniel e Nenê comemoram gol do Vasco contra o Londrina, na Série B do Brasileirão - Daniel RAMALHO / CRVG
Raniel e Nenê comemoram gol do Vasco contra o Londrina, na Série B do Brasileirão Imagem: Daniel RAMALHO / CRVG

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

20/06/2022 04h00

Classificação e Jogos

Raniel encerrou o jejum, garantiu a vitória do Vasco sobre o Londrina e, de quebra, já fez de 2022 a temporada mais goleadora da carreira. O camisa 9 cruz-maltino anotou 10 gols no ano, e colocou a famosa "pulga atrás da orelha" do recém-chegado técnico Maurício Souza. O triunfo fez a equipe da Colina chegar à vice-liderança da Série B do Campeonato Brasileiro.

Reforço do clube de São Januário na janela do início do ano, Raniel chegou por empréstimo junto ao Santos. Teve um bom começo de caminhada no novo clube, mas, em meio a oscilações, ainda busca superar de vez a desconfiança e se firmar no time de vez.

Até então, Raniel havia balançado a rede mais vezes em 2018, quando marcou nove gols com a camisa do Cruzeiro. Ele é o artilheiro do Vasco no ano, seguido por Nenê, com oito, e Gabriel Pec, com quatro, e o último gol tinha sido na vitória sobre a Ponte Preta, no fim de abril.

"É bom voltar a marcar. Atacante vive de gols, né? Agradeço a Deus pela oportunidade e por estar sempre me dando forças, e à nossa equipe também, porque sem eles não consigo nada. O mais importante são os três pontos que a gente mereceu - disse Raniel na saída de campo", disse, ao Premiere, ao deixar o gramado do Estádio do Café.

O gol também se torna um ingrediente na acirrada disputa no ataque, em meio às dúvidas que o setor ainda gera. Getúlio, principal concorrente pela vaga no time, foi o autor do gol que deu o triunfo sobre o Cruzeiro, na rodada anterior.

A dor de cabeça não chega a ser nova, e os testes já eram pauta sob o comando de Zé Ricardo. Assim como o técnico anterior, Maurício Souza salienta o bom ambiente hoje no Cruz-Maltino, e a briga sadia para estar na equipe inicial.

"O Vasco tem um time muito homogêneo. O Raniel, hoje, fez o gol, e o Getúlio fez o gol na vitória contra o Cruzeiro. O que eu tenho passado para eles é que vamos viver um ambiente de justiça, e as coisas vão ser resolvidas dentro do campo. Quem tiver melhor naquele momento, vai jogar. E isso não quer dizer que vai ser titular o tempo todo", disse.

"Eles sabem disso. O Getúlio compreendeu completamente a saída, o Raniel fez o gol e abraçou o Getúlio. É um grupo extremamente unido, só quem está vivendo esse momento sabe. Falar que um é titular e outro é reserva... Acho que o campo vai dizer isso, o dia a dia. São dois atletas trabalhadores, com nível para ser titular. E é claro que eu prefiro ter esse problema (risos), porque tira um e coloca o outro e o nível continua", completou.

Vale ressaltar ainda que Figueiredo, centroavante de origem, vem atuando mais aberto e "corre por fora". Erick, que foi acionado contra o Londrina, e Zé Santos também se tornam opções para o setor.

Vasco