PUBLICIDADE
Topo

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

"Enredo foi o mesmo de 2021". Colunistas analisam estreia do Corinthians

Colaboração para o UOL, em Santos (SP)

26/01/2022 11h11

Classificação e Jogos

A estreia do Corinthians não foi como o torcedor esperava. O time comandado por Sylvinho decepcionou na primeira apresentação da temporada e não saiu de um empate sem gols com a Ferroviária mesmo jogando ao lado de seus aficionados, na Neo Química Arena.

Diante do enredo de estreia, convocamos os colunistas do UOL Esporte para responderem à seguinte pergunta: O empate com a Ferroviária já permite tirar alguma conclusão do Corinthians de 2022? Veja o que eles responderam:

Não diria conclusões, mas há indícios: 1 - A dupla Paulinho/Renato Augusto será fundamental no meio-campo; 2 - Ataque precisa mesmo de um centroavante qualificado. Mas tem que ser contratado pensando no encaixe no time, não no impacto do nome no mercado.
ANDRÉ ROCHA

Sim, que há talentos para montar um ótimo time. Resta saber se há maestro.
JUCA KFOURI

Primeiro jogo pós-férias normalmente pode ser mais complicado. Problema é que Sylvinho precisa mostrar logo que o time vai ter um futebol competitivo e convincente em 2022, já são oito meses de trabalho e não tem mais espaço para "trabalha em desenvolvimento". Ele será muito cobrado.
MARCEL RIZZO

Nenhuma conclusão, mas muitas interrogações. Erros repetidos e vícios que engessam o time seguem. Claramente os reforços seguem dando esperança à torcida de dias melhores. A única certeza: não dá para sacrificar sempre o Renato Augusto (fora da posição) para insistir no time sem volante de marcação: perde-se defensivamente e ofensivamente.
MARÍLIA RUIZ

Conclusão, não. Mas há alguns indícios. Paulinho jogou bem e vai ser destaque. Roger Guedes como centroavante? Me parece algo improvisado. Gosto dele aberto na esquerda, como Bruno Henrique. O time e bom.
MENON

A minha conclusão (embora quase leviana porque um jogo não aponta muita coisa), seria a de que o Corinthians ainda está no segundo semestre de 2021. Time tem posse de bola, toca bastante, mas se movimenta com baixa intensidade. Muita armação; pouca finalização. Ficou mais apaixonado com a entrada do Paulinho, que se comportou quase como um atacante e por pouco não marcou mais de uma vez, e esse foi o sinal de esperança da noite.
MILLY LACOMBE

Que o time é bom, pelo menos no papel, isso não há dúvida. Mas o sinal de alerta foi dado com tantas jogadas de criação e nenhum gol marcado. Se não chegar um centroavante autêntico, para resolver, será bem complicado. E, caso não engrene logo, Sylvinho ficará vulnerável, óbvio!
MILTON NEVES

Sim. A conclusão de que o técnico do time, Sylvinho, continua sem conseguir fazer uma leitura rápida do jogo. Isso faz o Corinthians demorar para sair das armadilhas preparadas pelos adversários.
PERRONE

Ainda é cedo, mas dá para ver que o time segue muito carente de um centroavante para converter as chances criadas de gol. E Sylvinho segue patinando para encontrar alternativas durante os jogos.
RODOLFO RODRIGUES

Por enquanto as mesmas de grande parte dos jogos de 2021. O time consegue apresentar organização e circula bem a bola até se aproximar da área. A partir daí falta poder de fogo e alternativas sem um centroavante mais qualificado. É só o começo, mas o enredo foi o mesmo de 2021.
RODRIGO COUTINHO

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL