PUBLICIDADE
Topo

Quatro problemas que afetaram a estreia do Corinthians na temporada 2022

Yago Rudá

Do UOL, em São Paulo

26/01/2022 04h00

Classificação e Jogos

O Corinthians realizou ontem (25) sua primeira apresentação na temporada com o empate em 0 a 0 com a Ferroviária na Neo Química Arena. O elenco teve apenas duas semanas para os treinamentos de pré-temporada e ainda busca a melhor forma física, como é o caso do volante Paulinho, e o entrosamento com as mudanças em relação ao ano passado.

A apresentação na estreia do Campeonato Paulista foi um aperitivo do que o torcedor corintiano pode esperar para o ano de 2022. O técnico Sylvinho terá uma longa temporada pela frente e os primeiros jogos do estadual servirão como um laboratório para a comissão técnica formar a equipe ideal em meados de março, às vésperas do início da Copa Libertadores.

Abaixo, o UOL Esporte lista as primeiras impressões deste novo Corinthians e os problemas que precisam ser resolvidos por Sylvinho.

Mais do mesmo no plano tático

O Corinthians iniciou a temporada 2022 da mesma forma que encerrou a anterior: 4-1-4-1 com variação para o 4-3-3. O desenho tático da equipe já se mostrava um limitador no Brasileirão do ano passado, sobretudo quando o adversário atua com a linha baixa de marcação e dá espaço para o Timão trabalhar a bola apenas no campo de defesa e no círculo central do gramado.

Os meias e atacantes acabam tendo menos espaço para a construção das jogadas e, como os laterais pouco sobem ao ataque nesta formação, o Corinthians muitas vezes se torna previsível e apresenta dificuldades em agredir o adversário.

Dependência pelas jogadas individuais

Como o Corinthians possui em seu elenco atletas de grande qualidade técnica e poder de improvisação, o aspecto coletivo da equipe muitas vezes se torna um coadjuvante. Foi desta forma, por exemplo, que o Alvinegro arrancou o empate contra o Grêmio na penúltima rodada do Brasileirão do ano passado com um gol de Renato Augusto.

O técnico Sylvinho precisa encontrar soluções para a escassa variação de jogadas de ataque da equipe, que se apoia no talento de Willian, Roger Guedes, Renato Augusto e mais recentemente Paulinho.

Encaixe no meio de campo

Outra pendência do Corinthians versão 2022 é o encaixe das peças do meio de campo e o melhor ajuste coletivo. A comissão técnica conta com Giuliano, Renato Augusto, Willian, Gabriel Pereira, Cantillo, Du Queiroz e Paulinho — todos com totais condições de assumirem a titularidade.

A resolução do problema passa pela escolha em atuar ou não com um volante marcador posicionado à frente dos zagueiros, como é o caso de Gabriel. Como Sylvinho não abre mão da linha defensiva com quatro atletas, restam menos vagas no meio de campo e algum nome de peso precisará amargar a reserva.

Referência no ataque

Nas últimas semanas, a diretoria falou publicamente, em mais de uma oportunidade, que está atrás de um atacante com características de finalização e presença de área. Atualmente, apenas Jô desempenha a função considerada a grande carência do elenco neste início de temporada.

O atual Corinthians, embora tenha problemas na criação de jogadas trabalhadas coletivamente, apresenta bons números em seu sistema ofensivo. Na noite de ontem, diante da Ferroviária, foram 23 situações de gol a favor do Timão, mas ainda há a necessidade de um finalizador ou de alguém que pise na área para concluir as oportunidades criadas.