PUBLICIDADE
Topo

Menon

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Menon: Palmeiras tem Copinha e está perto do Mundial

Conteúdo exclusivo para assinantes
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

25/01/2022 11h59Atualizada em 25/01/2022 12h41

Acabou a brincadeira, como diria o Carlos Cereto. Com apenas 15 minutos de jogo, o Palmeiras fez 3 x 0 no Santos e ganhou a Copa São Paulo. O resto foi complemento.

A primeira de sua história.

Acabou também com a gozação de outras torcidas. Já não poderão gritar e cantar que o Palmeiras não tem Copinha. E talvez tenham de engolir o resto do canto. O time é forte e tem chances de ganhar o Mundial.

Foi um título esperado. Não só pela qualidade do elenco, mas também - e principalmente - pelo trabalho realizado nos últimos anos.

O Palmeiras, que nunca ligou para a base, mudou de ideia e fez ótimo trabalho. Muitos títulos vieram no sub-20 e sub-17. Não é exagero dizer que o ciclo iniciado com Gabriel Jesus chega agora a Endrick. Não termina, não. Vem mais por aí.

Em entrevista com João Sampaio, diretor da base, no ano passado, ele já dizia que jogadores como Gabriel Menino, Patrick de Paula, Gabriel Veron, Renan, Wesley e outros poderiam render 100 milhões de dólares ao clube, mas que o grande ganho era técnico.

O Palmeiras continuou com eles e todos estarão na luta pelo título do Mundial de Clubes. Os meninos da base, as Crias da Academia, estão dando títulos ao Palmeiras e terminando com as últimas e fugazes alegrias dos adversários.