PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Palmeiras já trabalha com ideia de que Abel sairá ao fim da temporada

Abel Ferreira, técnico do Palmeiras, após a classificação à final da Libertadores, diante do Atlético-MG - Staff Images / CONMEBOL
Abel Ferreira, técnico do Palmeiras, após a classificação à final da Libertadores, diante do Atlético-MG Imagem: Staff Images / CONMEBOL

Bruno Andrade e Diego Iwata Lima

Do UOL, em São Paulo

30/09/2021 04h00

Classificação e Jogos

A despeito da conquista da vaga na final da Libertadores, são cada vez mais claras e maiores as evidências de que Abel Ferreira não deve cumprir integralmente seu contrato com o Palmeiras, que termina no fim de 2022. De acordo com pessoas do clube ouvidas pelo UOL Esporte, havia internamente a quase certeza de que o técnico deixaria o Alviverde já no fim deste ano.

A presença na decisão abre uma pequena brecha para que o casamento seja um pouco mais longo e adentre 2022. Uma nova conquista continental, que levaria o Palmeiras novamente ao Mundial de Clubes, poderia estender a parceria. Tudo dependeria da final contra o Flamengo.

Ainda sem uma sede definida, mas com os Emirados Árabes aparecendo como principal candidato, o Mundial deve acontecer em fevereiro de 2022. E com mais uma Libertadores no bolso e a chance de ganhar o título de clubes de maior abrangência internacional, é difícil imaginar Abel se despedindo antes da disputa.

Mesmo com uma possível conquista de título, porém, acredita-se que a permanência de Abel, cujo contrato tem ainda uma cláusula de renovação automática para 2023, não deve mesmo acontecer depois da hipotética participação no torneio.

A declaração do técnico na entrevista coletiva após o jogo contra o Galo, revelando ter prometido aos jogadores que "não os abandonaria" até o fim deste ano, veio apenas evidenciar o tom de adeus.

Técnico bateu de frente com jornalistas, torcedores e dirigentes

Desde as derrotas na Supercopa do Brasil e na Recopa Sul-Americana, o trabalho de Abel Ferreira passou a ser muito questionado por parte da crítica e de torcedores do Palmeiras, em especial a organizada Mancha Alviverde.

Abel também se desgastou em mais de uma entrevista coletiva rebatendo questionamentos quanto ao seu estilo de jogo, ainda que as sessões com a imprensa estejam acontecendo apenas virtualmente.

O treinador também bateu de frente com a direção do clube, que não lhe deu os reforços pedidos logo após a conquista da Copa do Brasil. Abel reclamou publicamente da falta de contratações após ser derrotado pelo Red Bull Bragantino, em junho, e foi repreendido pelo diretor de futebol Anderson Barros e pelo presidente Mauricio Galiotte.

Xenofobia e propostas recusadas

O desabafo após a classificação diante do Galo, direcionado a um "vizinho" de seu prédio, foi a forma que o técnico achou para desabafar sobre diversas críticas que recebe e considera injustas. O personagem fictício serviu para personificar seus vários detratores, inclusive aqueles que inserem certo teor xenófobo ao criticá-lo. Não foi à toa que ele exaltou seu orgulho de ser português e europeu na entrevista coletiva.

Desde que chegou ao Palmeiras, conforme ele mesmo falou, Abel já recusou três propostas de quatro sondagens que lhe foram feitas. Rechaçou as ofertas de Dínamo de Kiev (UCR), Fenerbahçe (TUR) e Bordeaux (FRA), além de ter rejeitado a aproximação do Al-Rayyan (QAT).

Futebol