PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Por MLS, Palmeiras baixou valor fixado para opção de compra de Esteves

Lucas Esteves em jogo do Palmeiras contra o Coritiba - Cesar Greco/SE Palmeiras
Lucas Esteves em jogo do Palmeiras contra o Coritiba Imagem: Cesar Greco/SE Palmeiras

Diego Iwata Lima

De São Paulo

03/08/2021 15h27

Classificação e Jogos

Lucas Esteves vai mesmo ser jogador do Colorado Rapids (EUA). O lateral emprestado pelo Palmeiras já cumpre quarentena para poder se juntar aos novos colegas. O contrato do jogador com a equipe da MLS será de um ano, com opção de compra de 50% dos direitos ao fim do período, por US$ 1 milhão —R$ 5,2 milhões na cotação desta terça-feira (3).

O valor está abaixo do inicialmente pretendido pelo Palmeiras, pois o clube entende que o jogador tinha potencial para ser negociado por mais. Mas a oportunidade de ter o atleta na liga norte-americana pesou a favor do desconto.

A MLS é vista pelo clube e pelo estafe do atleta como o melhor lugar para Esteves desenvolver seu futebol, em especial na parte defensiva. Acredita-se que o rigor tático quase didático e o nível avançado das questões de preparação física e científica vão concluir, com chave de ouro, o ciclo de formação do jogador.

Outro ponto a favor da transferência é o fato de Esteves ter sido pouco aproveitado por Abel como lateral-esquerdo. O português sempre enxergou Esteves como um atacante, um ponta ou extremo, na nomenclatura moderna.

E embora fosse encarado como uma oportunidade, a verdade é que o deslocamento de função também era um empecilho, uma vez que Dudu, Rony, Willian, Veron e Wesley, entre outros, passaram a concorrer com Esteves pela posição no ataque.

Ter treinado com a seleção brasileira na Copa América, como lateral-esquerdo, foi outro ponto que pesou na decisão de Esteves de se transferir para os EUA. O jogador foi muito elogiado por Tite e sua comissão pela atuação em seu setor de origem, o que o motivo ainda mais a buscar um espaço como lateral em outro clube, já que com Abel Ferreira, já estava claro que isso não aconteceria —as contratações de Jorge e Piquerez apenas evidenciaram isso.

Futebol