PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Abel tem semana para preparar trio de ataque opcional para Libertadores

Luiz Adriano, atacante do Palmeiras, em treino na Academia de Futebol - Cesar Greco
Luiz Adriano, atacante do Palmeiras, em treino na Academia de Futebol Imagem: Cesar Greco

Diego Iwata Lima

De São Paulo

02/08/2021 04h00

Classificação e Jogos

Pela segunda semana seguida, Abel Ferreira e o Palmeiras terão o que no futebol se denomina como semana cheia: cinco dias sem jogos para poder treinar. Isso dará a ele a oportunidade de preparar algumas novidades para encarar o São Paulo mais uma vez, agora pelas quartas de final da Libertadores, no próximo dia 10.

Sim, antes haverá um duelo importante com o Fortaleza, no sábado, dia 7, pelo Campeonato Brasileiro. Mas como o jogo pelo torneio continental será já na terça-feira, seguinte, será mesmo ao longo da atual semana que o português vai fazer a preparação para o confronto de mata-mata.

Entre as principais novidades que podem aparecer estão os três atacantes de maior renome do Palmeiras: Luiz Adriano, Rony e o recém-chegado Dudu. Os dois primeiros já estão afastados do time há bastante tempo. Dudu foi poupado no empate sem gols com o São Paulo.

Luiz Adriano, que se recupera de edema no joelho esquerdo, teve seu nome ligado a Internacional e Grêmio nos últimos tempos. A dupla gaúcha tentou levar o jogador para Porto Alegre, mas teve suas ofertas rechaçadas. A mais recente foi a do Grêmio, que tentou também levar Lucas Lima por empréstimo, mas queria contratar Luiz Adriano sem desembolsar nada. O camisa 10 não entra em campo desde a vitória por 3 a 2 sobre o Bahia, em 27 de junho, há nove jogos.

Rony esteve em campo há menos tempo. Em 7 de julho, enfrentou o Grêmio no Allianz Parque, na vitória por 2 a 0 que colocou o Alviverde na ponta da tabela do Brasileiro, antes de sentir uma lesão na coxa esquerda que vem e volta desde 2020. Já Dudu, que reestreou contra o Santos, no último dia 10, vinha ganhando mais minutos a cada jogo, mas acabou poupado, por conta de dores no pé, do empate com o São Paulo.

Abel vinha escalando Raphael Veiga como um falso ponta pela direita, Wesley pela esquerda, e Deyverson como centroavante. Veiga foi apagado como ponta diante do São Paulo, mas cresceu de produção com a saída de Scarpa e seu deslocamento para a faixa central. Já Deyverson e Wesley não fizeram boas partidas —o ponta foi substituído por Breno Lopes.

Futebol