PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

São Paulo recusou nova redução de valor antes da saída de patrocinador

Daniel Alves utiliza camiseta do São Paulo com patrocínio do Banco Inter - Fernando Alves/AGIF
Daniel Alves utiliza camiseta do São Paulo com patrocínio do Banco Inter Imagem: Fernando Alves/AGIF

Thiago Fernandes

Do UOL, em São Paulo

09/03/2021 04h00

São Paulo e Banco Inter anunciaram, na tarde de ontem (8), o fim da parceria que se iniciou em 2017. As partes negociaram a manutenção do patrocínio máster no uniforme do clube durante os últimos dias. Contudo, os valores propostos pela empresa não agradaram à diretoria.

O contrato se encerrou em 28 de fevereiro passado com a instituição financeira pagando R$ 1 milhão por mês ao Tricolor paulista. O valor já havia sofrido redução em relação ao acordo original — R$ 1,5 milhão mensal. A nova oferta feita pelo banco era de cerca de R$ 580 mil ao mês para permanecer com o mesmo espaço na camiseta. O pacote anual renderia menos de R$ 7 milhões ao clube.

Os números estão abaixo do que a diretoria pensa que é possível arrecadar com um patrocinador máster em 2021. O orçamento prevê arrecadação de R$ 16 milhões em patrocínios até dezembro. Mesmo que, em anos anteriores, o clube tenha faturado cerca de R$ 36 milhões, o valor é visto de forma realista por ser uma temporada mais curta, com dez meses de duração, e por causa da pandemia do novo coronavírus, o que reduz o investimento de patrocinadores.

Agora, a diretoria do São Paulo busca outros parceiros para a temporada 2021, já que o Banco Inter não foi o único a deixar o uniforme do clube nos últimos dias. MRV, SPFC Chip, Urbano e Betsul também estão fora da camiseta desde o jogo contra a Inter de Limeira, na última quarta-feira (3). Alguns ainda mantêm negociações com o intuito de permanecer no espaço.

Hoje, o Tricolor paulista conta com quatro patrocinadores em seu uniforme. Cimento Cauê, Cartão de Todos, Konami e Gazin estão na linha de material esportivo, assinada pela Adidas.

São Paulo