PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Palermo sobre a morte de Maradona: "não sei quando vou encarar a realidade"

Martin Palermo, durante jogo do Boca Juniors, em 2010 - Maxi Failla/LatinContent via Getty Images
Martin Palermo, durante jogo do Boca Juniors, em 2010 Imagem: Maxi Failla/LatinContent via Getty Images

Colaboração para o UOL, em São Paulo

25/02/2021 22h41Atualizada em 27/02/2021 08h49

Mesmo após três meses do ocorrido, a morte de Diego Maradona ainda dá o que falar nas mídias esportivas. Uma recente carta publicada por Martín Palermo, no 'The Player's Tribune', o ídolo do Boca Juniors causou grande comoção pelas palavras usadas. Para ele, ainda não foi possível assimilar o triste ocorrido.

"Não sei quando vou encarar a realidade. Talvez em algum momento terei que aceitar que Diego se foi, da mesma forma que tive que aceitar a morte de meu filho. tenho que cruzar essa ponte e dizer a mim mesmo: "Não, ele está aqui. Não vou mais vê-lo." Mas ainda não cheguei a esse ponto", disse ele.

Ainda no relato, o atual treinador do Curicó Unido do Chile, que já foi comandado por Maradona, na seleção da Argentina, comparou o amigo com uma figura religiosa.

"É muito doloroso, muito surreal. Para mim, Diego ainda está lá. Se Deus ainda existe, de alguma forma, ele sempre existirá", desabafou.

Além de terem compartilhado momentos juntos no Boca Juniors, Palermo foi comandado por Maradona na Copa do Mundo de 2010, que aconteceu na África do Sul.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que informou o último parágrafo da matéria, Palermo foi comandado por Maradona na Copa do Mundo de 2010 (África do Sul), e não de 2006 (Alemanha). A informação foi corrigida.

Futebol