PUBLICIDADE
Topo

Futebol

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Juca Kfouri: Que adjetivo usar para a passagem do Palmeiras pelo Qatar?

Do UOL, em São Paulo

12/02/2021 17h26

Classificação e Jogos

O Palmeiras fez a pior campanha de um time sul-americano no Mundial de Clubes, perdendo para o Tigres, do México, na semifinal, e nos pênaltis para o Al Ahly, do Egito, na decisão do terceiro lugar, mas há discordância entre os que dizem se foi ou não um vexame do time de Abel Ferreira, que em seu discurso colocou sua equipe entre as quatro melhores o mundo, de acordo com a classificação final em Doha, no Qatar.

No podcast Posse de Bola #99, Juca Kfouri diz que não dá para amenizar a análise do que foi a campanha do Palmeiras, que foi a pior possível, sem vitórias, nenhum gol marcado e até as oportunidades ofensivas criadas tendo sido poucas.

"Que nome dar, que adjetivo usar para a passagem da Sociedade Esportiva Palmeiras pelo Qatar? Digamos, se eu estou em uma manhã generosa, eu digo 'meu Deus, a obsessão virou decepção'. É uma frase", diz Juca.

"Mas se eu quiser, de alguma maneira interpretar com fidelidade o sentimento do torcedor realista, como classificar o que se deu com o campeão da Libertadores, que foi ao Qatar, jogou 180 minutos de futebol e não é que não fez um gol, praticamente não ameaçou fazer gol, só foi fazer um gol no terceiro pênalti que bateu, contra um time egípcio, que não é exatamente do primeiro mundo do futebol, voltou de lá em quarto lugar como se não tivesse ido. Se o Palmeiras tivesse feito aquilo que fez em 2000, aberto mão de jogar o Mundial em nome de alguma promessa, teria obtido o mesmo quarto lugar", completa.

O jornalista também critica as declarações de Felipe Melo e do técnico Abel Ferreira, o primeiro alegando que o time volta 'de cabeça erguida' após a participação, e o segundo por dizer que o time foi o quarto melhor do mundo.

"Mas no futebol essas coisas acontecem, você não pode ser tão rigoroso, e afinal, como disse o Felipe Melo, 'voltamos com cabeça erguida'. Cabeça erguida? 'Ah sim, porque não tomamos gol do Al Ahly'. Isto é motivo de voltar com cabeça erguida?", questiona.

"Ou, como disse o Abel Ferreira, que aí me decepcionou não apenas por ser incapaz de mudar o jeito do Palmeiras jogar, mas ele, que sempre se caracterizou desde que chegou ao Brasil por boas entrevistas, teve a coragem de dizer que estavam no Qatar os quatro melhores times do mundo. Ora, ele sabe que não estavam, ele sabe que não estava lá o Manchester City, que não estava lá o Liverpool, que não estava lá o Real Madrid, que não estava lá o Barcelona, o Atlético de Madri, que não estava lá o River Plate, que ele sabe que é melhor que o Palmeiras, embora ele tenha eliminado", completa.

Juca diz que o treinador do Palmeiras poderia ter dado uma declaração mais franca e que não convence com a entrevista que deu logo após o jogo com o Al Ahly.

"Que conversa é essa? Não é mais fácil dizer 'olha, estamos com problema, estou chocado, não rendemos, realmente não sei o que aconteceu, estou preocupado com as finais da Copa do Brasil, se a gente não melhorar, a gente corre muito risco contra o Grêmio'. Ter uma conversa franca, um papo reto com o torcedor e não vir com essa história de que tinha lá os quatro melhores times do mundo, para cima de quem?", conclui.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter).

A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts. Você pode ouvir, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e Youtube --neste último, também em vídeo. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol