PUBLICIDADE
Topo

Flamengo

Fla mergulha em caso Gerson e ainda busca prova 'irrefutável' de racismo

Gerson discute com Mano Menezes durante o jogo entre Flamengo e Bahia, válido pelo Brasileirão -  Jorge Rodrigues/AGIF
Gerson discute com Mano Menezes durante o jogo entre Flamengo e Bahia, válido pelo Brasileirão Imagem: Jorge Rodrigues/AGIF

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

23/12/2020 04h00

A diretoria do Flamengo mergulhou no "caso Gerson" nos últimos dias, realizando diversas movimentações em prol do jogador, e busca a prova 'irrefutável' da injúria racial sofrida pelo camisa 8 no duelo com o Bahia, quando alegou ter sido alvo do meia colombiano Ramírez.

Já pouco após o apito final da partida, realizada no último domingo (20), Marcos Braz, vice-presidente de futebol, e Rodrigo Dunshee, vice-presidente geral e jurídico, manifestaram apoio a Gerson, com pedido por "profunda apuração" e indicação que o episódio seria levado à frente.

No dia seguinte, Dunshee se encontrou com Gerson, Marcão, pai do volante, e Rômulo Holanda, advogado do jogador. Ontem (22), integrantes do departamento jurídico acompanharam o volante à Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi), onde prestou depoimento.

O Rubro-Negro também foi atrás de vídeos e áudios que pudessem remontar o ocorrido e apresentou o material à polícia, que encaminhou para uma perícia. Posteriormente, o clube contratou especialistas do INES (Instituto de Educação de Surdos) para realizarem uma leitura labial em um vídeo de uma discussão de Ramírez com Bruno Henrique, que momentos depois do fato relatado por Gerson. As imagens ganharam as redes sociais no decorrer de ontem (22).

Bruno Henrique, do Flamengo, e Ramírez, do Bahia, discutem - Reprodução / TV Globo - Reprodução / TV Globo
Imagem: Reprodução / TV Globo

Até aqui, é esse laudo que se mostra o mais contundente. Segundo o documento, durante o bate-boca, Ramírez diz: "Está falando muito, seu negro" para o camisa 27. A frase é parecida com que Gerson ouviu, "cala a boca, negro", e corroboraria com a versão do volante. A promessa é de que essa prova também seja encaminhada ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e à polícia.

Internamente, acredita-se na palavra de Gerson. O que chamou a atenção de quem está no dia a dia foi a forma como o volante reagiu ao ouvir a ofensa racial, tendo uma revolta imediata e avisando ao árbitro Flávio Rodrigues de Souza. Depois, o camisa 8 discutiu com Mano Menezes, então técnico do Bahia (foi demitido ao término do jogo), o que alegou "malandragem" do rubro-negro.

Gerson concedeu ainda uma entrevista ao "Resenha do Craque", quadro da FlaTV, canal oficial do clube, que deve ser exibido em breve.

Flamengo