PUBLICIDADE
Topo

Vasco

Vasco demonstra abalo psicológico e agora foca em evitar 4º rebaixamento

Jovem goleiro Lucão, de 19 anos, chorou após falhar e foi consolado pelo companheiro de setor Fernando Miguel - Reprodução / Conmebol TV
Jovem goleiro Lucão, de 19 anos, chorou após falhar e foi consolado pelo companheiro de setor Fernando Miguel Imagem: Reprodução / Conmebol TV

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

04/12/2020 04h00

Classificação e Jogos

Técnico irritado na entrevista coletiva, um jovem goleiro chorando após falha e jogadores sendo abordados na porta do centro de treinamento. Não bastassem os resultados frustrantes dentro de campo, o Vasco demonstra um abalo psicológico naquela que agora já se torna uma dramática temporada.

Eliminado da Copa Sul-Americana para o Defensa y Justicia (ARG), dentro de São Januário, três dias depois de sofrer uma acachapante derrota por 4 a 1 para o Ceará, também em casa, pelo Campeonato Brasileiro, o Cruz-maltino precisa agora encontrar forças para reagir na competição nacional, a única que restou pela frente e onde encontra-se em situação delicada, na zona do rebaixamento, ocupando a 17ª colocação. Ou seja, a meta no momento é evitar o que seria o quarto rebaixamento em sua história.

Internamente, o ambiente também não favorece. O clube vive uma guerra política e a eleição para definir quem será o presidente a partir de 2021 segue com batalhas na Justiça, a próxima marcada para o dia 17 de dezembro. Atual mandatário, Alexandre Campello também sofre pressão e é um dos principais alvos dos protestos dos torcedores, inclusive ontem (4), quando foi motivo de uma faixa do lado de fora do estádio o chamando de "pior presidente da história" e "doutor Pinóquio".

Com gols perdidos e uma atuação para esquecer, o atacante Ribamar também tem sido um dos mais criticados e sua saída foi cobrada em uma pichação no centro de treinamento do clube em Jacarepaguá, na Zona Oeste (RJ).

Capitão da equipe, o zagueiro Leandro Castan admitiu o momento ruim da equipe, mas frisou que não fará "caça às bruxas" publicamente.

"A gente sabe que precisa melhorar muito. Não está tudo bem. Não posso vir aqui e acusar A, B ou C, isso a gente faz no vestiário. Mesmo que perca 500 gols aqui, eu vou defender, a cobrança vai ser lá dentro, não vou fazer show. Vamos fazer de tudo para dar a volta por cima na temporada", disse à Conmebol TV.

Neste domingo (6), o Vasco tem pela frente um duro o adversário, o Grêmio, em Porto Alegre (RS), que está invicto há nada menos do que 15 jogos.

Vasco