PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Mauro Cezar: "Vírus virou mera ferramenta para a cartolagem manipular"

Do UOL, em São Paulo

28/09/2020 18h21

O jogo entre Palmeiras e Flamengo pelo Campeonato Brasileiro virou uma guerra fora de campo, com liminares e a indefinição até momentos antes do início sobre a sua realização, o que deixou o clube rubro-negro em posição contrária à Confederação Brasileira de Futebol e outros clubes, que se manifestaram por meio de seus presidentes. Tudo isso em meio a uma pandemia, com a covid-19 infectando boa parte do elenco do atual campeão brasileiro, motivo da discórdia.

No podcast Posse de Bola #60, Mauro Cezar Pereira afirma que a briga entre os clubes e a CBF não tem ninguém certo, o protocolo da entidade não é tão seguro como apresentado e que o novo coronavírus foi usado como instrumento para ganho de vantagem por ambas as partes.

"O protocolo da CBF não é essa perfeição toda, isso é evidente. Eu acho que a CBF deveria ter a humildade de procurar aprimorá-lo e não ficar sentando nesse trono achando que é a dona da razão, que é perfeito. O Palmeiras foi contraditório e o Flamengo também, claro, porque os caras queriam porque queriam voltar a jogar, querem torcida no estádio, e de repente, vêm com essa conversa de 'não, pela saúde'", diz Mauro Cezar.

"O vírus, na verdade, virou uma mera ferramenta para a cartolagem manipular ao seu bel-prazer, pensando em vantagem esportiva ou evitar dar a vantagem ao adversário, nada além disso. Não tem mocinho na história", completa.

Além de citar a falha no protocolo que causou o adiamento da partida entre Goiás e São Paulo com os times já no estádio, na primeira rodada do Brasileirão, e o caso de Fred, o Fluminense, que testou positivo logo após o clássico com o Flamengo dias depois de ter ficado fora de jogo com o São Paulo devido ao teste positivo de sua mulher, Mauro Cezar critica a posição do presidente do Palmeiras, Maurício Galiotte, no caso.

"O Palmeiras, cujo presidente em abril dava declarações do tipo 'não, a torcida quer que o futebol volte, os jogadores querem voltar a treinar, pedem para voltar a treinar, mas não podemos, primeiro temos que pensar na vida das pessoas'. E aí vem a contradição, essa semana queria o jogo de qualquer maneira, mesmo com seus atletas podendo enfrentar um time possivelmente repleto de infectados", diz o jornalista.

"Esse time do Flamengo que entrou em campo ontem não dá para afirmar que todos os jogadores estavam 'limpos'. Porque eles conviveram minimamente com os outros e esse resultado às vezes demora a sair, está aí o exemplo do Fred", conclui.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter). A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts.

Você pode ouvir o Posse de Bola em seu tocador favorito, quando quiser e na hora que quiser. O Posse de Bola está disponível no Spotify e na Apple Podcasts, no Google Podcasts e no Castbox . Basta buscar o nome do programa e dar play no episódio desejado. No caso do Posse de Bola, é possível ainda ouvir via página oficial do UOL e YouTube do UOL. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

Futebol