PUBLICIDADE
Topo

Galvão elogia carta de Landim, mas faz ressalva: 'Faltou a palavra saúde'

Galvão Bueno - Divulgação/TV Globo
Galvão Bueno Imagem: Divulgação/TV Globo

Colaboração para o UOL, em São Paulo

25/05/2020 22h07

Narrador e apresentador do Grupo Globo, Galvão Bueno elogiou a carta que Rodolfo Landim divulgou hoje justificando seu encontro com o presidente Jair Bolsonaro, na última semana. Apesar de definir a mensagem do mandatário como 'bem colocada', o jornalista ressaltou a falta da palavra saúde no texto, algo que ele considera importante na atual situação do país.

"Acho que essa carta à nação rubro-negra é absolutamente bem colocada. Eu daria alguns detalhes. A nação rubro-negra é gigantesca - mais de 40 milhões de pessoas, mas ela pertence a uma nação ainda maior, que é a brasileira. Senti falta de uma palavra nessa carta muito bem escrita e bem colocada: a palavra saúde, que é a mais importante neste ano de 2020", declarou em participação no Bem, Amigos!, hoje.

Para Galvão, é, no mínimo, precipitado pensar em um retorno do futebol na mesma data que alguns países da Europa, uma vez que estes países já passaram pelo pico da pandemia, diferentemente do Brasil.

"Gostaria de lembrar que desde o ano passado falamos que o Flamengo é exemplo de muita coisa boa, administrativamente e esportivamente. Agora, me parece um pouco precipitado pensar em jogar junto com espanhóis, italianos, ingleses porque estamos defasados em, no mínimo, seis semanas em relação ao procedimento quanto à pandemia. E os torcedores já mostraram que não falta a eles paciência e prudência. Paciência e prudência rimam com ciência", completou.

UOL Esporte vê TV