PUBLICIDADE
Topo

Fábio: 'Um ano e meio de desgraça não pode apagar a história do Cruzeiro'

Goleiro Fábio, em treinamento do Cruzeiro na Toca da Raposa - Vinnicius Silva/Cruzeiro
Goleiro Fábio, em treinamento do Cruzeiro na Toca da Raposa Imagem: Vinnicius Silva/Cruzeiro

Colaboração para o UOL, em São Paulo

21/05/2020 23h24

No dia em que Sérgio Santos Rodrigues foi eleito o novo presidente do Cruzeiro, o goleiro Fábio afirmou que espera que o clube 'volte aos trilhos'. O ídolo cruzeirense declarou que a equipe passou por um ano e meio de desgraça durante a última gestão, mas que acredita que este tempo não poderá apagar tantas outras boas administrações.

"Depois de um ano e meio de muita confusão em todos os aspectos, dentro de campo, fora de campo, uma guerra muito forte nos bastidores e principalmente na política. A gente espera uma nova etapa com o novo presidente. Que a gente possa estar no trilho, como sempre foi na história do Cruzeiro, com credibilidade, infraestrutura, boas administrações. Não podemos deixar um ano e meio de desgraça apagar toda essa história", declarou em entrevista ao Troca de Passes, do SporTV, hoje.

Fábio também falou sobre a perda de seis pontos do time na disputa da Série B do Campeonato Brasileiro. O goleiro acredita que a punição poderia ter sido evitada, mas que se tornou inevitável depois de tanto tempo de atraso para pagar dívidas.

"Os gestores tentaram de todas as formas evitar a perda dos seis pontos. Mas os outros clubes não querem negociar. Por que iriam negociar agora, se o Cruzeiro já ficou seis anos sem pagar? Tem uma ordem de pagamento. E nesses seis anos, os gestores antigos, cientes da dívida, não evitaram essa dívida. Não evitaram que fosse para a Fifa. É um preço alto que estamos pagando por algo que poderia ser evitado há seis anos", completou.

UOL Esporte vê TV