PUBLICIDADE
Topo

Ministério Público revela crimes investigados contra ex-cúpula do Cruzeiro

Wagner Pires de Sá foi presidente do Cruzeiro entre 2018 e 2019 - Bruno Haddad/Cruzeiro
Wagner Pires de Sá foi presidente do Cruzeiro entre 2018 e 2019 Imagem: Bruno Haddad/Cruzeiro

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

21/05/2020 14h36

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) informou, na tarde de hoje (21), quais são os crimes investigados contra os ex-dirigentes do Cruzeiro. Por meio de nota divulgada em seu perfil no Twitter, o órgão explica as apurações feitas no clube.

"Em relação às investigações contra ex-dirigentes do Cruzeiro, os crimes apurados no momento são: falsificação de documentos/falsidade ideológica, apropriação indébita, organização criminosa e lavagem de dinheiro. O marco da investigação é a gestão iniciada em outubro de 2017", informou por meio de nota.

Na noite de ontem, o Cruzeiro divulgou as contas de 2019. O clube apresentou um déficit de R$ 394,1 milhões e dívida de R$ 803,4 milhões. Os números apresentam um endividamento superior a R$ 500 milhões durante a gestão de Wagner Pires de Sá.

Os investigados, além do ex-presidente, são o Sérgio Nonato dos Reis e Itair Machado. Eles ocuparam os cargos de diretor-geral e vice-presidente de futebol, respectivamente. A Polícia Civil de Minas Gerais também abriu inquérito contra o grupo.

Futebol