PUBLICIDADE
Topo

Caso Daniel

Caso Daniel: MP entra com recurso para Cris Brittes responder por homicídio

Cristiana Brittes em entrevista ao SBT - Reprodução/SBT
Cristiana Brittes em entrevista ao SBT Imagem: Reprodução/SBT

Do UOL, em São Paulo

13/03/2020 18h22

O Ministério Público entrou com recurso pedindo para que Cristiana Brittes vá a júri popular pelo assassinato do jogador Daniel Correa, em outubro de 2018.

A juíza Luciani Martins de Paula da 1ª Vara Criminal de São José dos Pinhais, entendeu em sua sentença de pronúncia, que apenas Edison Brittes, o marido de Cristiana; David Vollero, Eduardo Henrique da Silva e Ygor King continuem respondendo por homicídio.

Cristiana Brittes, que está em liberdade, segue como ré por coação no curso do processo, fraude processual e corrupção de menores. Ela havia sido denunciada pelo Ministério Público por homicídio qualificado, mas a juíza entendeu que a mulher de Brittes não deve ir júri popular pelo assassinato.

O promotor do caso, Marco Aurélio Oliveira São Leão anexou documento ao processo do assassinato do ex-jogador do São Paulo, no qual afirma que apelará da decisão da magistrada sobre o ponto relacionado à Cristiana Brittes e a acusação de homicídio.

"O Ministério Público do Estado do Paraná, por seu Promotor de Justiça adiante assinado, no uso de suas atribuições legais, não se conformando com a douta sentença, que impronunciou a ré Cristiana Rodrigues Brittes da prática, em tese, do crime descrito no artigo 121, § 2º, inciso I, do Código Penal (Fato I), vem com o devido respeito perante Vossa Excelência interpor o presente recurso de APELAÇÃO, com fulcro nos artigos 4161 e 593, inciso II2, do Código de Processo Penal, protestando pela posterior abertura de vista para dedução de nossas razões recursais no prazo legal", diz o promotor no documento.

Nos próximos dias, as autoridades deverão explicar de forma documental as razões pelas quais acreditam que Cristiana deve ir a júri popular pelo assassinato.

Veja todos os pronunciados (com denúncia aceita pela Justiça):
Homicídio qualificado pela torpeza do motivo, pelo emprego de tortura ou outro meio insidioso ou cruel, e pelo recurso que impossibilitou a defesa da vítima

DAVID WILLIAN VOLLERO SILVA
EDISON LUIZ BRITTES JUNIOR
EDUARDO HENRIQUE RIBEIRO DA SILVA
YGOR KING

Ocultação de cadáver

DAVID WILLIAN VOLLERO SILVA
EDISON LUIZ BRITTES JUNIOR
EDUARDO HENRIQUE RIBEIRO DA SILVA
YGOR KING

Fraude processual

ALLANA EMILLY BRITTES
CRISTIANA RODRIGUES BRITTES
DAVID WILLIAN VOLLERO SILVA
EDISON LUIZ BRITTES JUNIOR
EDUARDO HENRIQUE RIBEIRO DA SILVA
EVELLYN BRISOLA PERUSSO
YGOR KING

Corrupção de menor

ALLANA EMILLY BRITTES
CRISTIANA RODRIGUES BRITTES
EDISON LUIZ BRITTES JUNIOR
EDUARDO HENRIQUE RIBEIRO DA SILVA

Coação no curso do processo (por cinco vezes)

ALLANA EMILLY BRITTES
CRISTIANA RODRIGUES BRITTES
EDISON LUIZ BRITTES JUNIOR

Caso Daniel